Economia

Mais de oitenta mil formados em empreendedorismo

António Eugénio

O Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, através do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional, capacitou 80.688 cidadãos ligados ao negócio, desde 2015 até Março de 2021, nos Centros Locais de Empreendedorismo na Comunidade.

26/03/2021  Última atualização 14H55
Formados em empreendedorismo © Fotografia por: DR
A informação foi avançada, ontem, em Luanda, pela directora adjunta do Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP), Edgarda Sacramento Neto, quando falava aos participantes do seminário subordinado ao tema " O Empreendedorismo Feminino no Mundo e o Empretec enquanto Ferramenta da Empreendedora”, promovido pelo Ministério da Indústria e Comércio, tendo avançado que do número dos capacitados 36.853 são mulheres.

A responsável apelou ao engajamento das mulheres nos negócios a promoverem concorrência profissional e empresarial, qualificação permanente e terem o desenvolvimento tecnológico como suporte para garantir o sucesso nos negócios. O evento foi realizado num  único dia e no qual foram  passados em revista temas relacionados com o emprego e competências profissionais. Por seu turno, Edgarda Sacramento Neto realçou a necessidade de mais empoderamento feminino para garantir o desenvolvimento económico.

A responsável, que representou a titular da pasta  ministerial, anunciou que o Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE) prevê acções de atribuição da carteira profissional aos profissionais de arte e ofício. A formação dos jovens empreendedores nos domínios técnico-profissional e de gestão de pequenos negócios, fomentar o cooperativismo e contribuir para o processo de combate à fome e à pobreza, e a reconversão da economia informal para a formal, constam das acções.

Por sua vez, a directora nacional do Comércio Interno, Edna Capalo, considerou que o empreendedorismo pelo seu papel indispensável no desenvolvimento do tecido empresarial e na dinamização das Pequenas e Médias Empresas (PME), é responsável pela criação de  um número elevado  de empregos e pelo aumento da renda das famílias. De igual modo, as em­preendedoras são responsáveis pelo aumento da produção nacional com o apoio do Estado, na perspectiva de cumprirem com o papel atribuído no crescimento económico.

Edna Capalo realçou que, o Programa de Empreendedorismo-Empretec da conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento (CNUCED), se apresenta como um elemento importante para o fomento de um tecido empresarial nacional provido de novas tecnologias, competências técnicas e comportamentais associadas aos empresários bem sucedidos. No seu entendimento, as competências técnicas adquiridas durante a formação permitem constituir uma vasta rede de contactos a nível nacional e internacional.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia