Sociedade

Mais de 80 mil lugares disponíveis em Luanda

Alberto Quiluta

Jornalista

A província de Luanda tem disponíveis cerca de 88 mil vagas para o ano lectivo 2022/-2023, em classes de entrada, disse, terça-feira, ao Jornal de Angola, o director do Gabinete Provincial da Educação, Narciso Benedito.

10/08/2022  Última atualização 06H50
Director do Gabinete Provincial da Educação destacou a actual afluência de candidatos aos recintos escolares de Luanda © Fotografia por: kindala Manuel | Edições Novembro

Acrescentou que para a iniciação estão disponíveis 9.660 vagas, 1ª classe (21.395), 7ª (33.992) e 10ª (23.705).

Segundo Narciso Benedito, a província de Luanda conta com mais 38 escolas de vários níveis, construídas no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), Programa de Combate à Pobreza, entre outros projectos, para que mais crianças possam ser inseridas no sistema normal de ensino e aprendizagem.

"Nesta fase existe bastante afluência de candidatos nos recintos escolares, sobretudo para a 10ª classe. Existem várias opções que os candidatos devem aproveitar, durante as inscrições”, disse Narciso Benedito.

Deu a conhecer que o período de inscrições para o ingresso no segundo ciclo do ensino secundário teve início a 1 de Agosto e termina no próximo dia 18.

O director do Gabinete Provincial da Educação explicou que de 18 a 26 do corrente mês começa o período de selecção dos candidatos inscritos para o segundo ciclo, com destaque aos alunos da 10ª classe.

Referiu que os alunos para o referido nível devem ter entre os 14 e 15 anos e a nota de 14 valores como média final de avaliação. 

As matrículas dos alunos da 10ª classe começam no dia 29 de Agosto e terminam a 2 de Setembro.

Explicou que as classes de transição não fazem matrículas, mas sim inscrições, de acordo com critérios da instituição de ensino, para permitir a organização das turmas.

A abertura do ano lectivo 2022/2023 é feita a 5 de Setembro e no dia seguinte começam as aulas. Acrescentou que as aulas da 7ª e 10ª classes começam a 12 de Setembro.

Faculdade de Direito tem espaço para 300 novos estudantes

A Faculdade de Direito, da Universidade Agostinho Neto, tem disponíveis, para o próximo ano lectivo, 300 vagas, para os dois períodos.

"É um número de vagas permanente. Não vária em relação aos anos anteriores”, explicou Florivaldo de Sousa. A condição de entrada, acrescentou, é ter o ensino médio feito, no curso de Ciências Económicas e Jurídicas, ou de Ciências Sociais.

Para a inscrição, não há uma nota média definida, medida que está a ser tida em conta, em todas as unidades orgânicas da Universidade Agostinho Neto.

Florivaldo de Sousa recordou, ainda, que, antes, para se inscrever no curso de Direito ou no de Medicina  exigia-se 14 valores como nota máxima.

A eliminação começa depois dos exames, com base nos resultados de cada candidato.

"É o reconhecimento do mérito próprio”, disse, acrescentando que todo o estudante com notas altas nos exames é logo admitido.

"Caso 100 candidatos obtenham a nota de 20 valores e a instituição apenas tiver poucas vagas, o critério de selecção muda e passa a prevalecer o da idade, na qual a primazia vai para os mais novos”.

Quem termina o curso de Direito, destacou, tem um perfil de saída muito diversificado, desde a advocacia, magistratura, diplomacia e até no sector da administração pública. 

"O formando na instituição tem um amplo leque de escolhas e é facilmente seleccionado para trabalhar em várias estruturas da administração pública”, enalteceu.

240 vagas em Educação Física

O Instituto Superior de Educação Física e Desporto tem disponível para o próximo ano lectivo 240 vagas, como informou, ontem, a directora da instituição escolar.

Luiza Nicolau disse, ainda, que destas 240 vagas, 90 são para o período regular e 140 no pós laboral. O perfil de entrada para a instituição, destacou, inclui, acima de tudo, a conclusão do ensino médio e boas notas em Educação Física.

Os candidatos a uma vaga na instituição, revelou, podem inscrever-se no curso de Educação Física, que é o mais amplo possível e "habilita o formando a actuar nas áreas de Personal Training, como preparador físico, auxiliar de reabilitação, em cinesioterapia, ou treinador de desporto escolar”.

A directora da instituição adiantou ainda que têm estado a primar pela formação de qualidade, de forma a colocar no mercado de trabalho, técnicos qualificados na prática de educação física, incluíndo especialistas em actividades desportivas. "O mercado angolano precisa, cada vez mais, de ter quadros especializados”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade