Regiões

Mais de 30 mil mulheres são integradas em cooperativas

Ao todo 32.800 mulheres estão inseridas em 64 cooperativas agropecuárias, na província do Cuando Cubango, no quadro do Programa de Desenvolvimento Inclusivo, Sustentável e de Empoderamento da Mulher no Meio Rural, visando a diversificação da economia, combate à fome e redução da pobreza nas comunidades.

28/10/2022  Última atualização 08H45
Autoridades governamentais têm estado a exortar mulheres a integrarem cooperativas para beneficiarem de apoios diversos © Fotografia por: Nicolau vasco| EDIÇÕES NOVEMBRO

Eugénio Bundi, que falava durante o fórum provincial dedicado à mulher rural, disse que existem dois elementos fundamentais para o sucesso das mulheres na sociedade, nomeadamente a formação académica e profissional e o empreendedorismo, que lhes permitem enfrentar o mercado de emprego e contribuir para o desenvolvimento do país.

 "Se quisermos valorizar o lema escolhido para a jornada da mulher rural, segundo o qual "Pelo desenvolvimento inclusivo e sustentável, emponderemos a mulher no meio rural”, é necessário que haja uma forte aposta na sua formação”, disse o prelector.

Acrescentou que a formação académica, técnica e profissional, bem como o empreendedorismo complementam-se na realização plena da mulher e são directamente proporcionais ao seu carácter de liderança, em prol do seu bem-estar e autonomia económica e financeira.

Realçou que a luta pela emancipação da mulher é contínua, pois, apesar de muitos avanços, ainda precisa-se trabalhar no sentido de serem capacitadas sobre a necessidade da busca de mecanismos profícuos, eficazes e eficientes, que as levem a atingir os mais variados sectores da vida profissional.

Disse que o Governo angolano está fortemente atento às necessidades das mulheres do meio rural, daí a implementação do programa de desenvolvimento local e combate à pobreza e cumprimento das recomendações saídas do Fórum Nacional de Auscultação à Mulher Rural.

Segundo Eugénio Bundi, a jornada nacional da mulher rural, sob o lema: pelo desenvolvimento inclusivo e sustentável, emponderemos a mulher no meio rural”, visa analisar os constrangimentos e oportunidades para o empoderamento das mulheres no meio rural, no quadro do processo de diversificação da economia, assim como promover o desenvolvimento do capital humano, associativismo e cooperativismo.

"Consta, igualmente, dos objectivos deste fórum incentivar a implementação de projectos que contribuam para a melhoria das condições e integração da mulher do meio rural no processo de desenvolvimento em curso no país, bem como fomentar o debate, intercâmbio de experiências, para garantir segurança alimentar e acesso e controlo das terras e outros recursos naturais”, sublinhou.

Defendeu atenção especial em acções formativas das mulheres no meio rural, assim como homenagear os seus feitos e contributos à diversificação da economia.

O director do Gabinete Provincial da Saúde, Mirco Macay, em representação do governador José Martins, disse que a agenda 2030 aborda os objectivos de desenvolvimento sustentáveis, igualdade de género e empoderamento das mulheres, defendendo maior participação delas na vida social, económica e produtividade agrícola.

"Infelizmente, as mulheres ainda não têm o reconhecimento merecido, sofrem preconceitos e desigualdade de género. Existe uma longa jornada para o equilíbrio de direitos e oportunidades entre homens e mulheres", disse o director provincial da Saúde, acrescentando que Angola deve continuar a trabalhar para que as mulheres rurais desfrutem plenamente dos seus direitos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões