Sociedade

Mais de 30 estrangeiros implicados em crimes

O Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), na província do Cuando Cubango, controla um total de 37 cidadãos estrangeiros, envolvidos em diversos crimes, como burla, tráfico de estupefaciente, entrada e permanência ilegal.

12/01/2022  Última atualização 06H30
Serviço de Migração e Estrangeiros prende no Sul cidadãos em situação migratória irregular © Fotografia por: DR
Do total, onze dos estrangeiros detidos, no ano que terminou, são originários da República Democrática do Congo (RDC), Guiné Conacri e Zâmbia e indiciados por prática de crimes de homicídio voluntário, burla, roubo, tráfico de estupefaciente, assim como entrada e permanência ilegal em território nacional.

O chefe do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa, segundo subchefe de migração, Teodoro Camilo Sambinga, explicou que a sua instituição controla outros 26 infractores, que vivem sob o Termo de Identidade e Residência, implicados em vários crimes e com os processos em tramitação e afectados pelas restrições impostas pela Covid-19. Os 26 estrangeiros, todos com situação migratória irregular, estão a ser acusados por crimes de falsificação de documentos, especulação de preços, auxilio e promoção à imigração ilegal, exploração ilícita de madeira, furto, entrada e permanência ilegal.

Teodoro Sambinga disse que, durante o ano passado, registaram-se 15 tentativas de violação de fronteira, entre cidadãos nacionais e estrangeiros, além de outros dados ao dispor da Polícia de Guarda Fronteira. Ainda, há o registo de 65 casos de deportação de angolanos, maioritariamente provenientes da Namíbia e do Botswana.

O responsável fez saber que, durante o ano de 2021, o SME arrecadou, no Cuando Cubango, 17 milhões, 36 mil, 872 kwanzas, provenientes de actos migratórios, formulários e multas, que foram depositados na Conta Única do Tesouro (CUT). Segundo Teodoro Sambinga, foram emitidos 184 passaportes ordinários, dados 37 vistos de trabalho e oito de residência, bem como foram feitas dez prorrogações de visto de permanência e 97 de trabalho.

Nesse período, foram também aplicadas seis multas, sendo cinco contra cidadãos estrangeiros e uma contra um nacional, por permanência ilegal, exercício de actividade profissional não autorizada e falta de comunicação de alojamento. No Cuando Cubango o SME controla 581 cidadãos estrangeiros, de 32 nacionalidades, focalizados no exercício de 22 actividades profissionais, com realce para 228 com visto de trabalho, 14 ao abrigo do visto de trabalho, 38 com cartão de residente e quatro ao abrigo do cartão de residente, além de 29 refugiados, 228 requerentes de asilo, 11 ao abrigo do cônjuge nacional e oito com permanência temporária.

Teodoro Sambinga considerou de calma e sob controlo a situação na fronteira do Cuando Cubango com a Namíbia e Zâmbia e informou que, neste momento, estão em curso acções de recenseamento de refugiados e requerentes de asilo, assim como a atribuição do novo Cartão de Refugiado e da Declaração de Requerente de Asilo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade