Coronavírus

Mais 202 infecções e 376 recuperações

Mazarino da Cunha

Jornalista

A vacina AstraZeneca para a segunda dose contra a Covid-19 estará disponível no dia primeiro de Novembro, informou, segunda-feira (11), em Luanda, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, quando fazia o balanço da situação epidemiológica do país.

12/10/2021  Última atualização 08H20
© Fotografia por: Rafael Taty | Edições Novembro
Franco Mufinda disse que Angola está, neste momento, sem as vacinas para administrar a segunda dose da AstraZeneca, mas que, a partir do primeiro dia de Novembro, a situação fica resolvida de forma definitiva. 


A Comissão Multissectorial para Prevenção e Combate à Covid-19, frisou a autoridade, está a trabalhar para fazer a reposição da vacina em falta no país e apela aos cidadãos a manterem-se calmos, lembrando que o prazo para a segunda dose vai até 90 dias.

Em relação ao processo de vacinação contra a Covid-19 em todo o país, o secretário de Estado esclareceu que decorre a bom ritmo e referiu que, desde o início da campanha, no passado dia 2 de Março do corrente ano, já foram imunizadas 4.297.062 de pessoas.


Situação epidemiológica 


De acordo com os dados divulgados ontem, pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, o país registou, nas últimas 24 horas, sete óbitos, 202 novas infecções e a recuperação de 376 pacientes.


Os óbitos ocorreram em Luanda (2), Huambo (2), Malanje (2) e Cabinda (1). As vítimas têm idades entre os 18 e os 85 anos, sendo três do sexo masculino e quatro do feminino. 

 
No que diz respeito às novas infecções, Franco Mufinda informou que 148 foram registadas em Luanda, 21 no Huambo, sete em Cabinda, seis no Cuanza-Sul, cinco no Zaire, quatro no Cuanza-Norte, três em Benguela, igual número no Cuando Cubango, Huíla e uma no Bié e Malanje.


Os infectados têm idades compreendidas entre os 7 meses e os 83 anos, sendo 94 do sexo masculino e 108 do feminino. Franco Mufinda referiu que, das recuperações, 242 foram registadas em Luanda, 66 no Huambo, 31 no Cuando Cubango, 25 na Huíla, seis em Cabinda, quatro no Bié e duas no Moxico. Os recuperados têm idades entre 1 e 92 anos.  


Com estes dados, o país contabiliza 61.580 casos confirmados, dos quais 1.629 resultaram em óbitos, 49.977 recuperados e 9.974 activos. Dos activos, 24 são críticos, 34 graves, 140 moderados, 84 leves e 9.692 assintomáticos.      
Nos centros de tratamento da Covid-19, a nível do país, estão internados 282 doentes. Em quarentena institucional estão 95 cidadãos e 5.033 sob investigação epidemiológica.   


O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) registou, ontem, 112 chamadas, todas relacionadas a pedidos de informação sobre a Covid-19. A equipa de saúde mental e intervenção psico-social prestou, nas últimas 24 horas, apoio psicológico por telefone a 64 cidadãos. 


O Laboratório de Biologia Molecular testou 2.803 amostras, das quais 202 foram positivas. Desde o início da pandemia, em Março de 2020, foram realizados 1.050.635 testes, sendo 61.580 com resultado positivo.      

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Coronavírus