Cultura

“Mafrano” retrata em livro a sua visão sobre os bantu

“Os bantu na visão de Mafrano” é o título do livro de Maurício Francisco Caetano a ser lançado, a título póstumo, no dia 14 de Maio, às 10h30, no auditório do edifício da Universidade Católica, no largo das Escolas, em Luanda.

22/04/2022  Última atualização 14H45
© Fotografia por: DR
Nascido em 1916 e falecido em 1982, o autor é filho de Mariana José Marcolino, doméstica, natural do Dondo, e de Francisco João Caetano, alfaiate, oriundo de Cambambe. Nasceu no Dondo, terra onde fez os estudos primários, prosseguindo posteriormente os seus estudos no Seminário de Luanda onde cursou Filosofia e Teologia. Iniciou a sua carreira profissional como aspirante administrativo, conciliando esta sua actividade com o ensino e a promoção do valor cultural da antropologia social angolana.

Ingressou nos Serviços de Fazenda e Contabilidade, na era colonial, os quais passaram posteriormente para a tutela do Ministério das Finanças, com a independência de Angola, em Novembro de 1975, tendo atingido a função de Director até à altura da sua morte, em 1982.

Enquanto escritor, foi colaborador de vários jornais e publicações - com destaque para O Apostolado, Revista Angola, O Angolense, Tribuna dos Muceques - utilizando como pseudónimos mais conhecidos "Mafrano” e "Anateco”.

Foi professor de Língua Portuguesa e de Filosofia no Colégio 28 de Maio, Instituto Makarenko, Liceu Ngola Kiluanje, Escola 1º de Maio e Instituto Pio XII (actual ICRA - "Instituto de Ciências Religiosas de Angola”). Um dos seus alunos tornou-se figura proeminente na sociedade angolana ao ser ordenado o primeiro bispo negro angolano: Dom Eduardo André Muaca.

Foi o extinto Instituto Nacional do Livro e do Disco (INALD), através de uma colecção denominada "A letra” que, no início de 1986, recuperou um belo conto deste escritor para o primeiro número dessa colectânea: "O Menino Luís Irmão de João Cassabalo”.

Trata-se de uma visão sobre algumas das questões étnicas, sociais e políticas que se desenrolavam no quotidiano da cidade do Dondo no primeiro terço do século XX, as quais, tudo leva a crer, o autor terá assistido. Logo no começo, ele descreve alguns dos bairros suburbanos da sua terra natal, o Dondo.

O  autor tem publicados os livros "Onomástica angolense: Nzinga ou Nginga?” (1976); "Menino Luís Irmão de João Cassabalo”, edição do INALD (1986); "Idiomas Nacionais: Kimbundu” (1976); "Notas a Lápis”, crónicas dispersas em jornais e revistas, e "Crónicas Ligeiras”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura