Política

Lunda-Sul vai ter mais 365 salas de aula em 2021

Adão Diogo | Saurimo

Jornalista

Ao todo, 365 salas de aula vão ser concluídas em 2021, na província da Lunda-Sul, com o objectivo de reduzir o número de crianças fora do sistema de ensino, informou, ontem, o governador da província, Daniel Neto, durante a cerimónia de cumprimentos de fim-de-ano.

29/12/2020  Última atualização 08H14
Daniel Neto incentivou os cidadãos a pautarem pelo diálogo saudável com o Governo © Fotografia por: Kamuanga Júlia | Saurimo
A ideia, disse, é reduzir o universo de crianças fora do sistema de ensino e desfazer o cenário de superlotação por turma. Segundo Daniel Neto, as novas salas de aula vão absorver 16.425 alunos, e estão inseridas nos programas Integrado de Intervenção nos  Municípios (PIIM) e de Investimentos Públicos (PIP).

Daniel Neto lembrou que, este ano, a província construiu 53 salas de aula, de um total de sete escolas, sendo cinco no município de Saurimo, uma no Dala e igual número no Muconda, permitindo a inserção de 2.385 novos alunos.
No presente ano lectivo foram matriculados 272.787 alunos nos diferentes subsistemas de ensino, assegurados por 4.483 professores, com uma oferta de 1.706 salas de aula, das quais 421 provisórias.

O governador destacou a parceria da empresa Catoca, que vai apoiar 1.500 alunos dos ensinos primário e médio.  O convénio contempla, ainda, a atribuição de 140 bolsas internas e externas para licenciatura e pós-graduação.

Saúde
Daniel Neto apontou como avanços, no sector da Saúde, a inauguração, pelo Presidente da República, de um novo hospital e de uma maternidade.

Segundo o governador, o sector regista sinais visíveis de melhoria, facto que  deve ser acompanhado com acções que visam a humanização dos serviços prestados.
O governante defendeu a necessidade de se continuar a prestar atenção especial aos cuidados primários de saúde, melhorando a organização e gestão do programa de municipalização dos serviços, bem como capacitar os profissionais, para corresponder às expectativas.

Explicou que, para 2021, está prevista  a conclusão das obras de construção do bloco operatório e a ala de RX no município de Dala, bem como a enfermaria de 70 camas em Cacolo, igualmente a ampliação do Hospital Municipal de Muconda, que passa de oito para 30 leitos.

A província conta actualmente com uma unidade sanitária em todas as sedes municipais, comunais e nas principais aldeias e povoações, sendo nove hospitais, 16 centros médicos, dois centros maternos infantis e 77 postos de saúde, com um total de 601 camas, assegurados por 874 enfermeiros, 138 técnicos de diagnóstico e 80 médicos, entre angolanos e expatriados.
O governador reafirmou o compromisso de expandir a energia nos bairros periféricos da cidade de Saurimo, servidos com 25 postos de transformação.
Este ano foram realizadas 25 mil ligações domiciliares, contra 19.500 em 2019.

Entre as acções previstas para o sector, Daniel Neto anunciou o reatamento, nos próximos  dias, da testagem da central de Txicumina. Paralisada há mais de um ano, a unidade vai fornecer, na fase de arranque, cerca de 20 megawatts.
O governante avançou, por outro lado, que está prevista a construção de uma central fotovoltaica nos arredores do Luar, a cerca de dez quilómetros de Saurimo.

O processo de registo civil e atribuição do Bilhete de Identidade contemplou 74.300 cidadãos.
A instalação do pólo de desenvolvimento diamantífero em Saurimo ampliou as áreas de formação, com uma oferta inicial para empregar 500 jovens, no projecto Luele, vulgo Luachi.

O equipamento confiado a uma brigada de manutenção de estradas impulsionou a terraplenagem dos 115 quilómetros entre a sede de Cacolo e a comuna de Xassengue, já concluídos. A brigada está a realizar a mesma actividade na via Saurimo/Sombo.   
Daniel Neto incentivou os cidadãos a  pautarem pelo diálogo saudável com o Governo, em detrimento da bajulação e críticas sem fundamento. Daniel Neto enalteceu o desempenho das organizações juvenis na mobilização e partilha de conhecimentos com as comunidades  sobre a Covid-19.
*Com Angop

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política