Política

Lunda-Sul: Mensagem dos “camaradas” anima eleitores de Mona Quimbundo

Adão Diogo | Saurimo

Jornalista

As mensagens emitidas pelo MPLA no quadro da campanha eleitoral são uma recapitulação para limar arestas, pois o eleitor conhece as realizações e no momento da verdade saberá como votar, afirmou o primeiro-secretário provincial da Lunda-Sul no termo de uma digressão a 13 aldeias, na comuna de Mona Quimbundo.

14/08/2022  Última atualização 07H31
Militantes animados com as propostas do MPLA © Fotografia por: Paulo Mulaza | Edições Novembro

No contacto com as comunidades na última quinta-feira, Daniel Neto notou que "o povo continua a apoiar  o MPLA”, invicto na marcha, "para obter bons resultados”, nas próximas Eleições Gerais, previstas para 24 deste mês.

 Minimizou as estratégias usadas pela oposição para ofuscar a imagem e o impacto das realizações do partido governante, considerando que o MPLA se "esforça e possui o genes que congrega, une, promove a paz, em vez de vender sonhos irrealizáveis e proferir discursos carregados de ódio e promessas vazias”.

As manifestações de carinho marcaram o acolhimento à comitiva política em todas as localidades, "com canções que expressam a convicção de que o voto é no número 8 e autorizam o líder do MPLA a governar, sem medo”.

Com 87 anos de idade, Júlia Natxikakano, trajando as cores do  partido que carrega no coração, há 48 anos, venceu o peso do tempo e marcou presença no acto com a sua bandeira, na localidade de Txicumina.

No mesmo bairro, o mais velho Armando Timóteo, que participou em todos os pleitos realizados no país, goza de prestígio, devido à experiência acumulada em mais de 46 anos de militância no MPLA: "Vou votar nas eleições de  24 de Agosto”. O "conselheiro” do bairro facilita a interacção com os jovens para transmitir valores, que alguns acatam com muita insistência.

Fátima Maria, com a pequena Ovete ao colo, observa, à distância, a festa organizada pelos membros da comunidade de Txicumina a escassos quatro quilómetros da sede comunal de Mona Quimbundo. O dístico, que anuncia a assembleia de voto número 6739 ao lado de casa, confirma que o exercício do voto aguarda apenas pelo dia "D”. Ela e a irmã Sónia garantem que vão cumprir o dever cívico, tal como os outros membros do bairro que precisam de apoio para a associação agrícola e a escola, para poupar tempo e esforço das mulheres e crianças, como reiterou o coordenador do bairro, Oliveira Germano.

 Daniel Neto reconheceu que os investimentos realizados no mandato cessante "não resolveram tudo”, mas reafirmou que a única forma de viabilizar a sequência dos projectos em carteira é "necessariamente o direccionamento do voto ao MPLA”.

 Referiu, por outro lado, que os que alegam concorrer para erradicar a corrupção no país são os que "obtêm suporte financeiro de quem roubou o dinheiro do Estado e estão refugiados na diáspora, escapando à Justiça angolana”.

O político entende que chegou o momento de cada eleitor reflectir antes de votar por emoção, porque em todas as circunstâncias do país "o MPLA despertou sempre como partido preocupado com o povo, tolerante, protector e promotor do desenvolvimento harmonioso”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política