Economia

Lunda-Norte: RAPP deve facilitar financiamentos

A expectativa dos pequenos e médios produtores do município do Chitato, província da Lunda-Norte, é de que o Recenseamento Agro-pecuário e Pescas (RAPP), lançado há dias pelo Executivo, seja um ponto de partida para a promoção da transparência na concessão de créditos e evitar burocracias no tratamento da documentação tendente à legitimação dos processos pelas instituições financeiras.

24/08/2020  Última atualização 21H52
Txitxi Baptista | Edições Novembro © Fotografia por: Empreendedores incentivados a aumentar níveis de produção

Em nome dos demais, a agricultora Anastácia Gabriela, proprietária da Fazenda Yopa Gabriel, na qual se procedeu ao lançamento do RAPP a nível do município de Chitato, considerou que os financiamentos elegíveis ao Programa de Apoio ao Crédito (PAC), aprovados no âmbito do Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), deviam ser antecedidos por essa operação estatística que agora começou.

Apesar de já ter remetido documentação para beneficiar de crédito no quadro do PRODESI, a empresária referiu que ainda que espera por melhoria na sua actividade de fortalecimento da agro-pecuária, o RAPP é uma operação cuja dimensão e importância, em termos de levantamento do potencial agro-pecuário, devia ter sido realizado antes da concessão de créditos.

A empreendedora, que falou ao Jornal de Angola aquando da visita do administrador municipal do Chitato, Gastão Cahata, ao local, defende ser necessário que os incentivos do Governo sejam mesmo direccionados para os empresários que realmente trabalham. “Com isso será combatida a promiscuidade, reduzir as dificuldades que se colocam ao fomento de uma agricultura moderna e aumento dos níveis de produtividade”, notou.

Os agricultores do Chitato pedem às autoridades apoio financeiro e instrumentos de trabalho, para aumentarem os níveis de produção e contribuir para o êxito dos programas de combate à pobreza, referiu Anastácia Gabriela.

A Fazenda Yopa Gabriel possui mil hectares de terra, 126 dos quais cultivados. Do vasto perímetro agrícola, 72 hectares estão reservados ao cultivo de tubérculos, sendo 70 para mandioca e dois para batata-doce.

A área tem também cinco hectares de banana, três de hortícolas, nomeadamente tomate, couve, pepino, cenoura, cebola, repolho, alface e jimboa, além de dois outros repartidos para o cultivo de feijão e arroz.

Os trabalhos de desbravação da terra, revelou a empresária, foram efectuados com imensas dificuldades, com recurso à instrumentos agrícolas rudimentares, como catanas e enxadas. Anastácia Gabriel explicou que o seu projecto começou em 2010, com um investimento inicial de mais de quatro milhões de kwanzas, tendo até agora garantindo 26 postos de trabalho, com cada trabalhador a receber 50 mil kwanzas por mês.

A fazenda está localizada a 40 quilómetros da sede municipal do Chitato, concretamente na povoação do Txibululo, onde a degradação da via de acesso é o principal entrave para o escoamento de produtos para os diversos mercados.

Anastácia Gabriela disse que, na época de colheita, mais de 50 hectares de mandioca transformada são colocados no mercado do Chitato. No presente ano agrícola, a colheita de hortaliças atingiu duas toneladas.

Anastacia Gabriel disse que a fazenda aposta também na criação de gado. Até ao momento possui oito cabeças de gado bovino e 24 outros de cabrino.

Rede comercial

Em resposta às dificuldades apresentadas pela proprietária da Fazenda Yopa Gabriel, que se prendem sobretudo com dificuldades de escoamento de produtos, o administrador do Chitato, Gastão Cahata, prometeu que as autoridades locais vão reabilitar as estradas, para garantir a circulação e o escoamento dos produtos, visando a sua boa comercialização.

Gastão Cahata, que presidiu ao acto municipal do lançamento do RAPP, incentivou os agricultores locais a aumentarem os níveis de produção, no sentido de responderem aos desafios do sector e considerou que o Programa de Apoio ao Crédito é um incentivo, para que os pequenos e médios agricultores possam melhorar a sua produção.

Gastão Cahata considerou ainda que o RAPP vai ajudar a Administração Municipal a adoptar novos métodos para a dinamização da rede de comercialização, que permite a absorção de produtos agro-pecuários do município, uma vez que os produtores reclamam da inexistência de mercados devidamente organizados.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia