Política

Luísa Damião confirma paridade de género

Yara Simão

Jornalista

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, reafirmou, terça-feira (16), em Luanda, total apoio das militantes à liderança do presidente do partido, João Lourenço, e deixou claro que será cumprida a paridade do género entre os delegados ao VIII Congresso Ordinário, cuja quota será de 50 por cento para ambos os sexos.

17/11/2021  Última atualização 07H50
Vice-Presidente do MPLA, Luísa Damião, apela união interna © Fotografia por: Agostinho Narciso |Edições Novembro
Luísa Damião discursava na II Reunião Ordinária do Comité Nacional da OMA e informou, igualmente, que esta é mais uma conquista da organização feminina do partido dos camaradas e, por conseguinte, uma da mulher angolana.

 "Essa é mais uma visão assertiva e oportuna de um partido visionário, que se adapta, rapidamente, ao contexto e coloca-se na dianteira das principais reformas políticas partidárias”, disse.

O MPLA, considerou, é um partido que tem dado exemplos de promoção permanente de inclusão social, da emancipação e equidade de género dignas de realce, da qual se pode orgulhar. "O MPLA é um partido que dá mérito às mulheres. Temos a plena confiança e certeza (de) que estas tudo farão, para assegurar uma vitória expressiva do MPLA e do seu candidato, nas eleições gerais de 2022”, assegurou.

Referiu que o seu partido sempre contou com a habilidade, capacidade e inteligência das mulheres em todo o percurso de lutas e vitórias, com a OMA a assumir, com elevada responsabilidade, a liderança no processo de mobilização em vários segmentos da sociedade angolana.

Na sua óptica, o MPLA prepara-se para mais um feito inédito no panorama político nacional, uma inovação que proporciona oportunidades à mulher e ao mesmo tempo imputa responsabilidades aos militantes desta força política governante.

Para Luísa Damião, a II Reunião Ordinária do Comité Nacional da OMA reveste-se de valor acrescido, pelo facto de marcar o início de um novo paradigma no processo de rejuvenescimento do "braço feminino” do MPLA.

A reunião da OMA, que segundo a vice-presidente do MPLA, assume um carácter estratégico, em função das matérias e documentos discutidos e aprovados, serviu para avaliar a proposta de ajustamento da estrutura do Secretariado Executivo da OMA a nível intermédio, a aprovação do orçamento para 2022 e parecer da Comissão de Disciplina e Auditoria, além da apresentação das pré-candidatas a membro do Comité Central e delegadas ao VIII Congresso Ordinário do Partido, que acontece em Dezembro.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política