Cultura

“Lugares Incorporados” exibidos até Setembro

As histórias e as memórias de Luanda podem ser vistas, até ao próximo dia 3 de Setembro, no Camões - Centro Cultural Português, em Luanda, na exposição fotográfica “Lugares Incorporados”, de Rui Tavares, que traz imagens de 16 bailarinos, de quatro gerações, da Companhia de Dança Contemporânea de Angola.

24/08/2021  Última atualização 10H55
Mostra conta histórias da capital sob a perspectiva da dança © Fotografia por: Contreiras Pipas | Edições Novembro
As imagens, captadas em 16 edifícios de Luanda, foram apresentadas, oficialmente ao público quinta-feira passada, com a inauguração da mostra que retrata a multiplicidade de laços sociais e afectivos, criados entre as pessoas e os lugares.     Rui Tavares disse que o trabalho dá valor a um património de importância fundamental para a caracterização da cidade capital. "A exposição tem uma abordagem de afinidades, entre a dança e a arquitectura, en-quanto linguagens que espelham as relações entre o corpo, o movimento e o espaço”, explicou. 

A ideia, continuou, é alertar e também participar na sensibilização da sociedade para o risco do património nacional ser esquecido. "A exposição é um apelo de esperança para que este legado possa ser resgatado, recuperado e devolvido à sociedade”. A directora da Companhia de Dança Contemporânea de Angola (CDCA), Ana Clara Guerra Marques, informou que o projecto foi criado em Abril de 2020, com o intuito de ajudar os bailarinos a saírem do confinamento, imposto pela Covid-19, numa época que as audições só eram feitas pelas plataformas digitais. 

O projecto, que celebra, também, o 30º aniversário da CDCA, criada em parceria com a Associação Kalu e a arquitecta Isabel Martins, inclui a edição de um livro e a exposição fotográfica. Rui Tavares começou a fazer fotografia em Portugal, em 1987. Com formação académica em Arquitectura e Urbanismo, pelas Universidades Agostinho Neto, Gallecia e Lusófona, o criador tem desenvolvido parte do percurso artístico ligado à fotografia da dança, em particular da CDCA.

Amilda Tibéria 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura