Economia

Lucro do Yetu ascende a 10,5 mil milhões

Isaque Lourenço

Jornalista

O Conselho de Administração e a Comissão Executiva do Banco Yetu anunciaram, sexta-feira, um lucro de 10,5 mil milhões de kwanzas, alcançado em 2021, duas vezes e meia a mais quando comparados aos 4,1 mil milhões de 2020.

22/05/2022  Última atualização 13H00
Yetu publica dados reveladores da actual fase de expansão © Fotografia por: edições novembro
Abraão Gourgel e Mário Gavião caucionaram o Relatório e Contas referente ao balanço até 31 de Dezembro de 2021, no qual consta ainda ter o banco contabilizado um activo avaliado em 68 mil milhões de kwanzas, bem acima dos 42,4 mil milhões do ano anterior.

Depois dos 4,4 mil milhões de lucro em 2019 e de 4,1 mil milhões em 2020, os 10,5 mil milhões de 2021 revelam a actual trajectória de maior valorização que o banco assinala, fruto de mudanças operacionais e da estratégia de actuação no mercado adoptada pela instituição.

 

Crédito a clientes

No Relatório & Contas, publicado no Jornal de Angola desta sexta-feira, o banco apresenta na sua planilha um crédito a clientes apurado nos 11,05 mil milhões, em 2021, números que deixam muito para trás os 4,48 mil milhões do ano anterior.

Recentemente, durante um fórum dirigido às empresas diamantíferas do país, realizado em Saurimo, Lunda-Sul, o Banco Yetu anunciou ter à disposição do mercado financiamentos e soluções financeiras inovadoras para apoiar as empresas do sector mineiro de todo o país.

Naquela ocasião, em Abril deste ano, foi anunciado, também, que as empresas diamantíferas sediadas na província da Lunda-Sul já poderiam aceder aos serviços financeiros do banco, através da agência instalada na capital da província.

Segundo Abraão Gourgel, além de facilitar o acesso da população aos meios de pagamentos através da instalação das agências e centros de ATM em várias regiões, o Banco Yetu tem interesse em contribuir para que as diamantíferas, tenham acesso a mais financiamentos e produtos financeiros capazes de proporcionar maior robustez de investimentos operacionais para ampliarem as actividades extractivas.

Também de crucial importância, foi a mensagem passada pelo presidente do Conselho Executivo do Banco Yetu, Mário Gavião, que adiantou ser um dos grandes desafios da actual administração a promoção do crescimento e desenvolvimento de Angola.

"Enquanto instituição financeira privada, identificamos o Sector Mineiro em geral e o subsector Diamantífero, em particular, como uma oportunidade em que o Banco pode apostar com produtos e serviços financeiros para colmatar algumas das necessidades que as empresas desse sector enfrentam sobretudo as que operam na província da Lunda-Sul”, afirmou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia