Economia

Luanda fica ligada com Madrid através da TAAG

Os voos directos entre Luanda a Madrid, Reino da Espanha, da companhia angolana de bandeira - TAAG, iniciam esta segunda-feira, com o primeiro avião a aterrar no aeroporto , por volta das 17h25 minutos.

27/06/2022  Última atualização 07H45
Boeing “Triple Seven” 300 da transportadora aérea angolana chega esta tarde a Espanha com 81 passageiros © Fotografia por: DR

A rota vai movimentar passageiros e mercadorias, incrementando o intercâmbio multidimensional entre Angola e o Reino da Espanha. A TAAG vai operar com duas frequências semanais, na quinta-feira e domingo, às 22h55 minutos (partida), com chegada à Madrid às 05h15 minutos.

Essa rota vai permitir a conexão com 143 destinos, de 43 países, com um único bilhete, no quadro da rede da Ibéria (companhia Aérea Espanhola), nomeadamente para Europa e Américas do Sul e Norte.

Os passageiros da companhia aérea espanhola terão acesso, a partir de Luanda, da rede de destinos nacionais, intercontinental e de África, através da TAAG. Para o efeito, um acordo de code-share e interline entre a TAAG e a Ibéria foi assinado no dia 5 de Maio, com vista ao reforço das ligações entre a África e a Europa, tendo como principal eixo a rota entre as capitais an-golana (Luanda) e espaNhola (Madrid).

Operacionalmente, a rota Luanda-Madrid, que funcionará na linha Luanda-Madrid-Porto-Luanda, não será totalmente operado pela TAAG, dado que, entre Madrid e Porto (Portugal), a operação caberá à companhia aérea espanhola, Ibéria. O troço Luanda-Madrid será operado pela TAAG e o troço Madrid-Porto será operado pela companhia área Ibéria, à luz do protocolo assinado com a TAAG.

 

Os voos internacionais da transportadora angolana

No global, a companhia aérea angolana, TAAG, voa para 27 destinos internacionais, com particular destaque para Portugal, com voos diários, num total de 14 frequências semanais.

As frequências para Portugal são operadas com dois voos diários às segundas, quartas, quintas e sextas-feiras e aos sábados. Já às terças e domingos conta apenas com um único voo entre as duas capitais (Luanda e Lisboa).

Na América do Sul, a TAAG voa para São Paulo (Brasil) e, em África, para a Cidade do Cabo e Joanesburgo, na África do Sul, Maputo, em Moçambique, e Lagos (Nigéria).

 

Cooperação Angola e Espanha

A visita do Presidente da República, João Lourenço, em Setembro de 2021, ao Reino de Espanha, deu um "novo impulso” à cooperação bilateral, entre os dois Estados.

Na ocasião, o ministro das Relações Exteriores, Téte António, considerou que as relações entre Angola e Espanha eram dinâmicas e têm vindo a melhorar, motivando, cada vez mais, as médias e pequenas empresas espanholas a investir no país.

Nessa altura, o chefe da diplomacia angolana referiu que, com a Espanha, Angola coopera em quase todos os sectores, como Energia e Águas, Saúde, Indústria e Comércio e Educação.

 

Sobre a TAAG

A TAAG foi criada em 1938 como DTA - Divisão dos Transportes Aéreos da Direcção dos Serviços de Portos, Caminhos-de-Ferro e Transportes de Angola.

Segundo dados históricos, as suas operações iniciaram-se, de facto, em 1940.

Nessa fase inicial da companhia utilizava os aviões Dragon Rapide, Klemen e Leopard Moth, tendo como primeiras linhas regulares activas Luanda-Moçâmedes e Luanda-Lobito.

Os primeiros voos internacionais faziam o percurso Luanda-Ponta Negra (Congo Brazzaville).

A partir de 1948 passa a utilizar os aviões do tipo Douglas DC-3, e 14 anos mais tarde (1962) adquire o primeiro aparelho do tipo Fokker Friendship (Fokker F27).

Em 1973, a DTA transforma-se em empresa de capital misto com a designação de TAAG – Transportes Aéreos de Angola, S.A.R.L., com capital maioritário do Governo, 30 por cento da TAP (Portugal) e o restante repartido por empresas privadas.

Até à Independência de Angola (em 1975), além do acrónimo TAAG, os aviões usados na altura identificavam-se com as cores brancas, faixas horizontais verdes, sombreados a preto e o símbolo da Palanca Negra Gigante, uma identidade totalmente alterada.

Dessa data para os dias de hoje, a companhia passou de Sociedade Anónima de Responsabilidade Limitada (SARL) à Unidade Económica Estatal (UEE), depois à Empresa Pública (EP). Agora à Sociedade Anónima (SA), como vanguarda do transporte aéreo angolano, cuja actividade se processa há 81 anos.

Em Setembro de 2019, começou o processo de privatização da operadora, por força de um Decreto assinado pelo Presidente da República, João Lourenço, anuindo à transformação desta em Sociedade Anónima (SA).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia