Cultura

Livro sobre os bantu apresentado no Namibe

O livro “Os Bantu na visão de Mafrano”, antropologia cultural, do escritor angolano Maurício Francisco Caetano, “Mafrano”, será apresentado sábado, na cidade do Namibe, no quadro das celebrações do Centenário do Drº António Agostinho Neto.

29/09/2022  Última atualização 07H40
Dom Zacarias Kamuenho (segundo à direita) fez o prefácio © Fotografia por: DR

A cerimónia terá lugar na Esplanada do Gabinete Provincial da Cultura Turismo e Ambiente do Namibe, a partir das 10h00, numa iniciativa das Direcções Provinciais da Cultura e da Educação e também á familia do autor, já falecido. Esta obra a título póstumo foi apresentada pela primeira vez, em finais de Abril,  na cidade do Lubango, e posteriormente em Luanda, na primeira quinzena de Maio.

A obra versa sobre questões antropológicas e etno-linguísticas dos chamados povos bantu, em Angola, num estudo comparativo com outros povos do mundo.

Na Huíla, o livro foi apresentado no Seminário Maior Padre Sikufinde do Lubango, por Dom Zacarias Kamuenho, arcebispo-emérito e prémio Sakharov 2001.  Posteriormente, a 14 de Maio, realizou-se na Universidade Católica de Angola, em Luanda, uma cerimónia de homenagem aos 40 anos do passamento físico do autor, ocorrido em Julho de 1982.A apresentação da obra foi feita, igualmente, por Dom Zacarias Kamuenho.

Maurício Caetano "Mafrano”,  cuja obra foi lançada pela família destacou-se com vários artigos na imprensa angolana, ainda nos anos 50, deixando um vasto espólio literário que está agora a ser compilado numa colectânea a sair em em três volumes e que inclui "Crónicas ligeiras”, "Notas a lápis”, "Episódios Vividos”, "Tertúlias” e outros textos e contos.

O livro "Os Bantu na visão de Mafrano” reproduz pesquisas realizadas pelo autor sobre a vida ancestral dos povos Bantu, de há mais de cinco mil anos, trazendo-nos reflexões históricas sobre a pré-história da civilização africana.

O livro tem 212 páginas e é prefaciado pelo arcebispo-emérito do Lubango, Dom Zacarias Kamuenho que considerou o autor como "o antropólogo maior” de Angola.

Na opinião do arcebispo de Luanda, Dom Filomeno Vieira Dias, "este livro vai ajudar a compreensão de práticas dos povos desta região”.

Por sua vez, o Núncio Apostólico da Sante Sé em Angola, Dom Giovanni Gaspari,  escreveu a propósito que "para mim, este livro será muito últil para o cohecimento da cultura angolana”.

O seu autor, Mauricio Francisco Caetano, foi director Nacional de Impostos do Ministério das Finanças, em Angola, de 1975 a 1982, e membro fundador da União dos Escritores Angolanos (UEA).

Destacou-se igualmente como professor de Português e de Filosofia no Liceu Ngola Kiluanji, Instituto Makarenko, Instituto PIO XII, ICRA (Instituto de Ciências Religiosas de Angola) e no Instituto Comercial de Luanda.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura