Política

Líderes da SADC aguardados para a investidura de Ramaphosa

Paulo Caculo

Jornalista

Os Chefes de Estado e de Governo dos países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), incluindo o Presidente em exercício da organização, João Lourenço, foram convidados a assistir, amanhã, em Pretória, à tomada de posse do Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, reeleito para o segundo mandato de cinco anos, após vencer as eleições de 29 de Maio.

18/06/2024  Última atualização 09H12
Cyril Ramaphosa vai prestar o juramento perante o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Raymond Zondo © Fotografia por: DR

De acordo com o periódico sul-africano Daily News, foram criadas todas as condições para a recepção e acomodação dos convidados.

Devem marcar presença no acto de investidura de Cyril Ramaphosa os Chefes de Estado e de Governo de Angola, Botswana, Comores, República Democrática do Congo (RDC), e-Swatini, Lesoto, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles República Unida Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe.

Segundo o porta-voz interino do Governo sul-africano, Nomonde Mnukwa, citado pelo jornal Daily News, muitos dos convidados já confirmaram a presença na sessão de investidura.

"Os convites foram enviados a vários Chefes de Estado e de Governo e estamos a começar a receber as respostas”, disse ao jornal, sem revelar o número de dignitários que vão estar presentes.

"Esperamos que seja um evento maravilhoso com a presença do maior número possível de amigos da África do Sul”, acrescentou.

 
Forte cordão de segurança

Um forte cordão de segurança está a ser preparado para a cerimónia, em Pretória, conforme se pode constatar.

Nas ruas que dão acesso ao Anfiteatro do Union Buildings, em Pretória, palco da cerimónia, os acessos estão cada vez mais limitados. A partir das 16 horas de hoje, várias avenidas começam a ser encerradas, no âmbito da estratégia de segurança.

Não haverá acesso de veículos particulares ao Union Buildings ou à área imediatamente ao redor do local do evento. Consta, ainda, que a Polícia Metropolitana de Tshwane vai encerrar as estradas dentro e ao redor do distrito onde está o anfiteatro que vai acolher as personalidades convidadas.

Os moradores das ruas afectadas pelo programa de investidura receberam indicações sobre como vão poder entrar e sair das zonas de residência. De igual modo, foram realizados preparativos para que os cidadãos sul-africanos participem da cerimónia, no Union Buildings Southern Lawns.

O acto de posse está previsto para começar às 9 horas locais (8horas em Angola), com um programa de entretenimento, enquanto a cerimónia formal tem início  às 11h00 locais.

Durante a cerimónia de investidura, a Força de Defesa Nacional Sul-Africana vai realizar algumas demonstrações, seguindo-se o juramento de lealdade à República e ao Comandante-em-Chefe.

A cerimónia inclui uma saudação de 21 tiros, um voo da Força Aérea Sul-Africana, desfile de um batalhão da Força de Defesa Nacional e sessão de marcha dos distintos ramos das Forças Armadas sul-africanas.

O discurso do Presidente Cyril Ramaphosa acontece momentos depois de ser empossado pelo presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Raymond Zondo.

 
Programa cultural

Antes do início da cerimónia de investidura de Cyril Ramaphosa, um vasto programa cultural decorre nos jardins do Union Buildings. O acto prevê a actuação de artistas locais, que vão mostrar o talento e a diversidade cultural sul-africana.

A produção cultural vai contar com uma combinação de géneros musicais e outras performances culturais e artísticas, com mensagens sobre as conquistas dos últimos 30 anos da democracia sul-africana .

 
Jornalistas estrangeiros

Mais de 200 jornalistas estrangeiros são aguardados para a cerimónia de investidura do Presidente Cyril Ramaphosa.

Os membros da comunicação social vão ser transportados do "Rietondale Park and Ride” em autocarros. Devido a limitações de espaço, 100 jornalistas serão acomodados no Anfiteatro Nelson Mandela.

O centro de imprensa vai ser instalado em Southern Lawns, para permitir que os meios de comunicação social tenham acesso ao som e imagens da cerimónia. Nenhum veículo de comunicação social vai poder circular no recinto do Union Buildings, palco da sessão de tomada de posse.

 
Sul-africanos expectantes

A maioria dos cidadãos sul-africanos ouvidos pelo Jornal de Angola mostrou-se optimista em relação ao futuro do país.

Abegunde Mbiola diz ser um momento importante que o país está a atravessar, sublinhando estar ansioso para assistir ao evento, pela televisão. "Será muito bom. O Presidente vai tomar posse e dar sequência ao seu mandato. O que todo os cidadãos sul-africanos esperam dele é que consiga reunir a família sul-africana e dar esperança aos cidadãos”, disse.

Para o jovem estudante Chatha Atsu, o facto das eleições terem sido renhidas e o ANC ter perdido a maioria absoluta e obrigado a formar uma coligação com os outros partidos, vai ajudar o Presidente Ramaphosa a perceber a importância de melhorar muita coisa.

"Queremos o melhor para todos nós e o Governo tem de fazer muito mais, para continuarmos a ter esperança numa África do Sul cada vez melhor”, referiu o entrevistado. A cerimónia de investidura de Cyril Ramaphosa é encarada por Bomani Bansi como uma "ocasião para celebrar os valores democráticos e sistema de governo”.

Cyril Ramaphosa foi reeleito sexta-feira para um segundo mandato pelo novo Parlamento, depois de o Congresso Nacional Africano ter alcançado um acordo de coligação inédito com o partido opositor Aliança Democrática (DA).

Ramaphosa obteve 283 votos, muito à frente do outro candidato, Julius Malema, do partido EFF, com 44 votos. O Chefe de Estado assinalou um "dia histórico na vida do país", juntando-se às palavras do novo aliado, o líder do DA, John Steenhuisen, que também falou num "dia histórico” e afirmou ser o "começo de um novo capítulo de construção e de cooperação”.

A África do Sul assinala 30 anos de democracia, desde que, a 10 de Maio de 1994, Nelson Mandela prestou juramento no Union Buildings, como o primeiro Presidente democraticamente eleito, após a abolição do regime racista.


Presidente João Lourenço  viaja hoje para Pretória

O Presidente da República, João Lourenço, deixa hoje Luanda, com destino a Pretória, na África do Sul, para participar na investidura do homólogo sul-africano, Cyril Ramaphosa, reeleito sexta-feira para um mandato de cinco anos.

Segundo uma nota da Casa Civil do Presidente da República, o Chefe de Estado regressa ao país amanhã, quarta-feira.

Cyril Ramaphosa foi reeleito Presidente da República da África do Sul pelos deputados, após a vitória do seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC), nas eleições legislativas ocorridas no passado dia 29 de Maio.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política