Economia

Licitadores mundiais na Bolsa de Diamantes

Cinco das maiores empresas mundiais de licitação (leilões e tenders) enviaram propostas para implantar serviços na futura Bolsa de Diamantes de Angola, anunciou a Sodiam em comunicado.

16/12/2020  Última atualização 20H30
© Fotografia por: DR
O coordenador técnico do processo de implementação da Bolsa, Peter Meeus, é citado num comunicado emitido ontem pela Sodiam, a revelar que foram recebidas propostas da Bonas-Couzyn, Ferst Element DTC, I-Henning & CO, Koin International DMCC e Trans Atlantic Gem Sales DMCC.
"Neste momento, estamos a analisar quais os serviços que se adequam melhor às necessidades da indústria diamantífera angolana, de acordo a legislação vigente no país” afirmou Peter Meeus, um antigo presidente honorário e director administrativo da Bolsa do Dubai, contratado em Outubro para liderar a implantação desse mercado em Angola.

Adicionalmente, a Sociedade de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam) está a analisar, com a Elmyr Services BVBA e Quality Boiling (Charlotte) BVBA, a obtenção de serviço de acidificação (processo de limpeza em ácido líquido apara eliminar impurezas externas) para a Bolsa de Diamantes Angola.

"As duas empresas, Elmyr e Charlotte, apresentaram propostas de interesse que estão actualmente em análise”, disse Peter Meeus. O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, é citado a declarar 14 minas operacionais em Angola, onde a produção diamantífera situou-se em 2019, em 9,086 milhões de quilates, avaliados em 1.263 milhões de dólares.

"Um dos principais objectivos da Bolsa de Diamantes de Angola é o de concentrar esse enorme fluxo de diamantes sob o mesmo tecto: entendemos que uma parte destes diamantes poderão ser vendidos por via de leilões e licitaçõs”, com a Sodiam a procura, junto de prestadores deste tipo de serviços, "formas de maximizar o resultado da nossa produção e obter os melhores resultados possíveis”

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia