Sociedade

Leste tem mais 18 escolas e três postos médicos

Victorino Matias | Dundo

Jornalista

Mais 18 escolas de ensino primário e três postos médicos vão ser construídos, durante este ano, nas províncias da Lunda-Norte, Lunda-Sul e Moxico, pela Fundação Brilhante, braço solidário da Endiama.

23/01/2022  Última atualização 05H55
População da região Leste vai beneficiar de uma série de serviços socioeconómicos © Fotografia por: Benjamim Cândido|Edições Novembro
O director-geral adjunto para Estudos e Projectos da Fundação Brilhante, Flávio  Fernandes, referiu, sexta-feira, no Dundo, que as obras vão ser erguidas na região Leste, no âmbito do Sistema Único de Responsabilidade Social (SURS) e do Programa de Desenvolvimento Sustentável das Zonas Mineiras.

Num encontro com responsáveis das empresas mineiras que operam nas referidas províncias, Flávio Fernandes explicou que cada uma das três províncias vai beneficiar de seis escolas e um posto médico, com  vista ao alargamento da rede de serviços daqueles sectores.

Além das infra-estruturas em referência, o responsável anunciou a construção de um banco de aleitamento materno, cujos  equipamentos deverão ser  adquiridos em coordenação com o Ministério da Saúde, e a aquisição de três clínicas móveis para a assistência médica às comunidades.

Para o  sector da Educação, a Fundação Brilhante e parceiros vão criar um protocolo com o Instituto Nacional  de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE) para estudantes de famílias carenciadas.

No que toca ao apoio à agricultura familiar e a outros pequenos agricultores, há um projecto de fomento da produção de mel, no  Moxico, em que se prevê investimentos na piscicultura.

A região vai beneficiar, igualmente, da construção de parques infantis, furos de água potável, um Centro Regional de Cultura e Artes do Leste, com espaços para galeria, artesanato  auditório, restauração, entre outros serviços.
O director-geral adjunto para Estudos e Projectos anunciou a realização de um programa de plantação de três mil eucaliptos, para travar o impacto das ravinas, que ameaçam a Centralidade do Mussungue, no Dundo, capital da Lunda-Norte.

O responsável referiu que a parceria existente com a Sociedade Mineira do Catoca, que está a implementar quatro programas sociais na Lunda-Norte, Lunda-Sul e Moxico, contempla um total de 3.420 beneficiários, com enfoque para mulheres rurais e jovens.

Flávio Fernandes defendeu que as  actividades de produção e extracção  de diamantes devem ser harmonizadas com o desenvolvimento sustentável  das comunidades.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade