Regiões

Lançada primeira pedra para as obras do PIIM

O lançamento das primeiras pedras para a construção de escolas na vila do Quilombos dos Dembos, em Ngonguembo, marca a implementação do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) no Cuanza -Norte.

21/03/2020  Última atualização 12H59
Nilo Mateus | Edições Novembro| Huíla © Fotografia por: Governador deu o primeiro passo para o arranque das obras

O estabelecimento do ensino primário e I ciclo do ensino secundário, a ser erguido no Quilombo dos Dembos, terá sete salas de aula e está orçado em pouco mais de 153 milhões de kwanzas.

Na localidade de Ngonguembo, o PIIM contempla a reabilitação de 21 quilómetros de estrada em terra batida, no troço entre o Quilombo Quiaputo, abrangendo a ponte sobre o rio Zenza, até à sede municipal.
O Programa Integrado de Intervenção nos Municípios também vai ser implementado na comuna de Quiangombe, concretamente nas localidades do Coio, Pamba Real e Pamba de Baixo, onde serão edificadas quatro escolas para o ensino primário e o I ciclo do ensino secundário.
Ainda em Quiangombe vai ser erguida uma escola de quatro salas e outras três no Coio. Os dois empreendimentos estão avaliados em 114 milhões e 994 mil kwanzas.
Já no sector da Pamba Real e Pamba de Baixo, o processo é semelhante, quatro salas de aula e outras três nestas localidades, orçadas em 77 milhões, 375 mil, 51 kwanzas e 71 cêntimos.
No município de Lucala, além de construção das quatro escolas, está prevista a implementação de mais 18 projectos sociais, no quadro da requalificação das artérias da localidade. Nesta região, será igualmente reabilitada a estrada que dá acesso ao Quilessa e administração e cemitério municipais. Ainda em Lucala, estão previstos a execução de projectos que visam a expansão da rede de distribuição de água potável e o saneamento básico.
No acto de lançamento da construção em Ngonguembo, o governador provincial, Adriano Mendes de Carvalho, disse que o Programa Integrado de Intervenção Municipal , “oferece oportunidade à província para registar crescimento económico e social, que tenha reflexo na vida dos cidadãos e das comunidades”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões