Política

Lançada linha gratuita de apoio ao Registo Eleitoral Oficioso

Adelina Inácio

Jornalista

O ministro da Administração do Território, Marcy Lopes, anunciou, quarta-feira (01) a entrada em funcionamento da linha de apoio ao Registo Eleitoral Oficioso. Trata-se do número 136, uma linha gratuita, por via da qual os cidadãos podem ligar para esclarecer as dúvidas relacionadas ao processo eleitoral oficioso.

02/12/2021  Última atualização 09H20
© Fotografia por: DR
 Foi criado também um aplicativo onde os cidadãos podem ter acesso à referência do local de registo. O aplicativo tem como referência www.residencia.niujs.com.

 Marcy Lopes falava à im-prensa depois de ter efectuado visitas aos Balcões Únicos de Atendimento Público (BUAP) dos distritos urbanos do Zango, Baia e Kikuxi, no município de Viana, e disse também que está concluída a implementação dos 596 postos em todo o país.

"Atingimos o propósito inicial que era a implementação dos  596 BUAP”, referiu, acrescentando que à medida que  for sentida a necessidade de aumentar BUAP num determinado local esse será implementado.

 Reconheceu que, em alguns balcões de atendimento, "o sinal da Internet não é bom”, mas que tudo está a ser feito para melhorar as condições com a instalação de antena satélite.

Apontou que os balcões visitados  têm uma produção diária positiva e nota-se alguma afluência dos cidadãos. "Poderia ser maior, mas para aquilo que é a demanda nós estamos a dar cobertura aos pedidos de actualização dos registos que têm sido feitos", disse.

O ministro esclareceu que só actualiza o registo eleitoral o cidadão que mudou de casa desde 2017 ou o que não tendo votado mudou de residência. "Porque a referência que se tem do registo é a que foi feita em 2017”, sublinhou, reforçando que quem não votou em 2017 deve actualizar o seu registo.

 Ao explicar a utilidade do Cartão do Munícipe,  fez saber  que o mesmo não serve para votar, mas sim para definir o local de residência. "Constatamos que havia pessoas na fila de espera para fazer a actualização do seu registo eleitoral sem que tenham mudado de residência”, disse.

 Lembrou que o Executivo está a implementar um Programa de Reforma para reduzir o número de documentos que o cidadão precisa para identificar-se. Um destes documentos, acrescentou, é o cartão de eleitor.

A intenção, concluiu o mi-nistro da Administração do Território, é que até 2027 os cidadãos deixem de usar, completamente, os cartões de eleitor e servir-se só do Bilhete de Identidade.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política