Sociedade

Kwenda vai atender 47 mil pessoas no Andulo

Pelo menos 47 mil famílias, em condições de vulnerabilidade, no município do Andulo, província do Bié, vão beneficiar do Programa de Transferências Sociais Monetárias, denominado “Kwenda”, a partir do próximo mês de Setembro, anunciou fonte do Fundo de Apoio Social (FAS).

07/08/2020  Última atualização 11H58
DR


Risony Costa disse que o projecto visa o reforço da assistência social e económica das famílias carentes na região, sendo que os primeiros municípios abrangidos passarão a receber trimestralmente 25 mil e 500 kwanzas, com uma renda mensal fixada em 8.500 kwanzas.
O responsável afirmou que o programa Kwenda vai ser implementado em 164 municípios do país, até 2022. No Bié, o projecto piloto é lançado no município do Andulo.

O administrador municipal adjunto do Andulo, Justino Kovi, considerou “oportuna” a iniciativa, salientando que a mesma vai conferir mais dignidade às famílias que residem em situação de vulnerabilidade, essencialmente em zonas rurais.
O processo de cadastramento das famílias vulneráveis no município do Andulo contará com uma equipa de 30 agentes de desenvolvimento comunitário e sanitário (ADECOS) que vão trabalhar nas comunas sede de Chivaulo, Calussinga e Cassumbi.

Vulneráveis recebem ajuda

No Andulo, mais de 500 famílias carenciadas beneficiaram de 60 toneladas de bens diversos de primeira necessidade, doados pela Associação Jovens Unidos e Solidários, para acudir a gritante falta de condições sociais básicas, que afligem as famílias carenciadas das zonas periféricas do município.

A doação é composta por sacos de fuba, arroz, açúcar, sabão, peixe seco, óleo alimentar, detergente, produtos de higiene domiciliar e corporal, calçados e massa esparguete. A acção foi antecedida de sessões de sensibilização aos beneficiários sobre os métodos de prevenção contra a Covid-19.
De acordo com o secretário-geral da Associação Jovens Unidos e Solidários, Nicolau Ngoma, o gesto visa ajudar as populações mais carenciadas e com necessidades extremas, “sobretudo nesta fase que o país enfrenta a situação de calamidade pública, imposta pelo novo coronavírus”, afirmou.

O responsável da organização juvenil apontou que a acção de solidariedade está alinhada com os esforços do Executivo no atendimento das necessidades prementes das populações, sobretudo as que vivem no meio rural, porque enfrentam graves dificuldades.
No município da Nharêa, mais de 300 famílias carenciadas dos bairros periféricos e de aldeias circunvizinhas, beneficiaram, igualmente, de cestas básicas da Associação Jovens Unidos e Solidários, no âmbito do Programa de Distribuição de Bens de Primeira Necessidade.
Márcio Venâncio, administrador municipal-djunto da Nharêa, agradeceu o gesto solidário da Associação e incentivou a organização a continuar a apoiar as camadas da sociedade mais carenciadas essencialmente das zonas rurais do nosso país.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade