Economia

Kwanza pode fechar ano em recuperação

Vânia Inácio

Jornalista

O Kwanza registou uma apreciação acumulada de 2,0 por cento face ao Dólar, de Janeiro a Setembro deste ano, numa tendência que se deverá prolongar pelo resto de 2021 e levar a moeda nacional a encerrar o período com uma notória recuperação.

20/10/2021  Última atualização 03H50
Reforma cambial beneficia o curso da moeda angolana © Fotografia por: DR
Estas informações foram obtidas terça-feira (19), quando o Dólar chegou a operar a 597,132 kwanzas no mercado interbancário, abaixo de médias superiores aos 620 kwanzas por unidade da moeda norte-americana observadas ao longo ano.

Com uma apreciação do Kwanza, diante do Dólar, de 1,58 por cento só no primeiro semestre, fontes deste jornal consideram esses números uma reversão da trajectória de perdas da moeda nacional que se arrastava desde 2017, ao mesmo tempo que a confirmação dos efeitos benéficos da reforma cambial iniciada  2018.


O diferencial da taxa de câmbio nos mercados formal e informal atingiu, no primeiro semestre de 2021, mínimos de 3,8 por cento em relação ao Dólar e 2,8 por cento face ao Euro, contra "spreads” superiores a 100 por cento registados entre 2017 e 2019, algo também atribuído à reforma cambial. Outros ganhos das reformas, de acordo com o BNA, estão relacionados com a inexistência de pagamentos pendentes por falta de divisas no sistema bancário, o reforço da posição externa do país e a recuperação das reservas internacionais.  


Com a saída do Banco Na-cional de Angola (BNA) do mercado cambial como único provedor de moeda estrangeira, a 1 de Abril deste ano, os bancos comerciais passaram a comprar a moeda estrangeira directamente das empresas petrolíferas e diamantíferas que operam no mercado nacional e ao Tesouro Nacional, por via da plataforma Bloomberg FXGO.


No primeiro semestre de 2021, os bancos comerciais compraram, no mercado cambial, 3 866,04 milhões de dólares, contra 4 805,2 milhões no período homólogo, mantendo os níveis relativamente altos.
A desvalorização cambial vista nos últimos anos, associada à instabilidade económica, pandemia e ao facto do país se socorrer às importações inclusive para satisfazer as necessidades do mercado, até em produtos da cesta básica, contribuem para a desaceleração económica.


Em Dezembro 2017, um dólar estava cotado a 165,926 kwanzas no mercado formal, um valor um ano depois elevado a 308,6 kwanzas depois de uma  desvalorização de cerca de 46 por cento no ano que, em 2019, é agravada por uma perda adicional de 36 por cento e de 26,51 por cento em 2020, de acordo com números do BNA.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia