Regiões

Kimpa Vita cria cursos de mestrado em breve

A Universidade Kimpa Vita (UNIKIVI) vai dar início, nos próximos tempos, de cursos de mestrado nas unidades orgânicas, anunciou, ontem, no Uíge, o novo reitor daquela instituição académica.

03/06/2022  Última atualização 06H00
Nova reitoria da Universidade aposta no aumento das qualidades académicas de docentes © Fotografia por: Eunice Suzana|Edições Novembro

Pedro Vita, que falava durante a cerimónia de tomada de posse, juntamente com os seus vice-reitores, referiu que a UNIKIVI pretende criar os cursos de mestrado para possibilitar que os estudantes possam adquirir formação de pós-graduação a nível local.

O académico anunciou, ainda, a implementação, nos próximos anos, de novos cursos de licenciatura no Instituto Politécnico e nas faculdades de Direito e de Economia, bem como a promoção da formação do corpo docente ao nível de doutoramento no exterior do país.

Pedro Vita disse que os formados deverão ter a missão de, posteriormente, ajudar na criação de cursos de doutoramento nas respectivas unidades orgânicas. "Mas, em curto espaço de tempo, a nossa missão é criar novos cursos de licenciatura, tendo em conta a real situação da província do Uíge, e a implementação dos mestrados localmente”.

O reitor da Universidade realçou que se pretende implementar cursos técnicos e profissionais de curta duração, para facilitar a promoção do empreendedorismo no seio da população.

Para já, o responsável académico avançou que a Universidade Kimpa Vita assumiu total disponibilidade, como órgão de consultoria científica do Governo Provincial do Uíge, para a resolução dos vários problemas que afligem a população, devendo as autoridades governamentais criar uma base de dados para a academia poder dar soluções com base na ciência.

"O dever da Universidade  não é apenas fornecer quadros à sociedade, mas estar integrada nela para conhecer os seus problemas e desafios e procurar soluções para os mesmos”, avançou para assegurar que a aposta passa, ainda, em ajudar com a criação de fazendas nos municípios.

Nessas fazendas, referiu que a instituição vai capacitar cientificamente os camponeses com as melhores técnicas de cultivo para saberem como cuidar das culturas, como e quando recolherem e, desta forma, dando maior rendimento e impacto social.

Sobre a tomada de posse, Pedro Vita avançou que começa uma fase de muitas responsabilidades, onde se obriga a demonstração de um árduo trabalho para a materialização das linhas de forças e do projecto de gestão apresentados durante a campanha eleitoral como candidato ao cargo de reitor.

"Este é um acto que simboliza o regresso da democracia nas instituições de ensino e foi possível a sua materialização devido à iniciativa e sábia orientação do Chefe de Estado, João Lourenço”, disse.

Considerou que o novo ciclo de gestão da Universidade representa a renovação e cria expectativas e esperanças nesta instituição de ensino superior, pelo que pretende contar com o empenho e motivação de todos os membros desta comunidade académica.  Aos docentes e funcionários da Universidade, o reitor apelou a uma maior idoneidade, dedicação e sentido de responsabilidade, bem como uma melhor colaboração com a equipa reitoral.

 

Estrada do Campus Universitário

Trabalhos de alargamento e reciclagem, iniciados na segunda-feira, marcaram o início da obra de reabilitação do troço de seis quilómetros que liga o bairro Dunga ao Campus Universitário do Kimpa Vita.

A reabilitação, que consiste, ainda, na pavimentação, vai culminar com a aplicação de um novo tapete asfáltico, uma empreitada inserida no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), que deverá ser concluída em 12 meses.

A obra, orçada em 1.457.471.945 de kwanzas, contempla, também, a abertura de valas de drenagem, sinalização vertical e horizontal e outros elementos da segurança rodoviária.

O director do Gabinete Provincial de Infra-estruturas e Serviços Técnicos do Uíge, Alexandrino Afonso, considerou que a empreitada representa um ganho para a população, sobretudo aos estudantes e funcionários da Universidade, que tem mais de três mil alunos, por garantir a melhoria da circulação rodoviária.

Depois do arranque dessa empreitada, o director do Gabinete Provincial de Alexandrino Afonso apontou a reabilitação dos troços que ligam as bombas do Kandombe Velho e os bairros Mongo–a–Liema e Bem-Vindo, com cerca de seis quilómetros cada.

António Capitão, Silvino Fortunato e Valter Gomes | Uíge

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões