Mundo

Kiev pede ao G7 para confiscar bens russos para a reconstrução

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano afirmou que as sanções "sem o embargo ao petróleo" russo podem demonstrar uma "ruptura na unidade" do bloco europeu.

13/05/2022  Última atualização 16H45
© Fotografia por: DR
"Peço, hoje, aos Estados-membros do G7 que adoptem legislação para que sejam aplicadas todas as medidas necessárias para que sejam confiscados todos os bens russos destinados à reconstrução da Ucrânia", declarou o ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba.

O chefe da diplomacia da Ucrânia participa na reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros do G7 reunidos em Wangels, no norte da Alemanha.

Kuleba disse ainda que as sanções "sem o embargo ao petróleo" russo podem demonstrar uma "ruptura na unidade" do bloco europeu.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros do G7 iniciaram, na quinta-feira, uma reunião de três dias em Schloss Weissenhaus, na costa do Mar Báltico, na Alemanha, país que ocupa actualmente a presidência anual rotativa do grupo.

Além da Alemanha, o G7 integra Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, com a União Europeia (UE) a participar também nas reuniões do grupo.

A Rússia lançou em 24 de Fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 13 milhões de pessoas, das quais mais de 6 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.



 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo