Mundo

Kiev pede a aliados que restrinjam acesso marítimo da Rússia

O responsável pela pasta dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia Dmitry Kuleba sublinhou, esta sexta-feira, que a "única coisa que a Ucrânia exporta são mortes, crises e mentiras".

05/07/2022  Última atualização 11H12
© Fotografia por: DR

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia pediu à comunidade internacional, esta terça-feira, que restringisse o acesso russo ao transporte marítimo.

Dmitry Kuleba começou por sublinhar que a economia de exportação do país que invadiu a Ucrânia "depende massivamente" do transporte marítimo, e que esta economia depende massivamente de frotas estrangeiras."

"Eu peço aos parceiros: restrinjam o acesso da Rússia aos vossos serviços e desmontem a máquina de guerra de Putin", escreveu o responsável ucraniano.

 " No final tudo o que a Rússia exporta são mortes, crises e mentira”, rematou

A situação do trigo bloqueado no Mar de Azov, na Ucrânia, tem despertado a atenção da comunidade internacional. Em causa está a possibilidade de uma crise de insegurança alimentar se alastrar a nível global. Recorde-se que a Organização das Nações Unidas (ONU) já reduziu as rações alimentares em pelo menos dez países africanos.

Já o secretário-geral da ONU disse que o problema poderá ainda piorar uma vez que, para este ano "o trigo existe", mas, para o ano, e tendo em conta que o conflito em território ucraniano se poderá prolongar - e que a Ucrânia é considerado o 'celeiro da Europa' -, o bem essencial poderá não ser plantando ou colhido.

O bem essencial está a ser bloqueado no Mar de Azov pelos russos e o Kremlin tem vindo a ser acusado de chantagear todos os países com este bloqueio - assim como está a acontecer com o gás natural com as constantes restrições, que já fizeram alguns países, como a Alemanha, pedir aos habitantes para controlarem o consumo.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo