Política

Juventude dispõe de nova plataforma para gerar negócios

César Esteves

Jornalista

Os jovens angolanos com ideias tecnológicas inovadoras, capazes de gerar negócio, passam a dispor, a partir desta terça-feira (18), de uma instituição pública, onde passarão a receber apoio até que as mesmas se tornem em empresas.

18/01/2022  Última atualização 08H06
© Fotografia por: DR
Denominada "digital.ao", a instituição vai ser inaugurada, esta terça-feira (18), no Distrito Urbano do Rangel, em Luanda, nas proximidades do Instituto de Telecomunicações (ITL).   "Qualquer angolano que tenha ideia tecnológica que possa gerar algum negócio está convidado a vir para o digital.ao, a fim de fazer a  entrevista", convidou André Pedro, director-geral do Instituto Nacional de Fomento da Sociedade da Informação (INFOSI), instituição que agrega o conceito digital.ao.

André Pedro disse que a instituição está capacitada para receber, em simultâneo, até 25 startups, para um pe-ríodo de dois anos e referiu que o projecto só é liberado depois de ganhar maturidade para se afirmar como empresa no mercado.Além de funcionar como uma incubadora, a digital.ao dispõe, também, de serviços nas áreas de registo de domínio ao, fabricação de software, hospedagem de páginas Web e correio corporativo, reparação de equipamentos, formação técnica, laboratório de TI, certificação internacional, mentoria, acompanhamento de startups e e-learning, curso de fusão de fibras ópticas e de reparação de computadores.
André Pedro ressaltou que, antes, a sociedade de informação confrontava-se com muitos entraves para a compra de um domínio (ao), situação que assegurou estar, agora, ultrapassada. Disse que o digital.ao constitui, igualmente, uma plataforma electrónica, onde qualquer cidadão da sociedade de informação terá a possibilidade de adquirir serviços disponíveis no Data Center do Governo, como o domínio ao, e-mail corporativo, hospedagem de páginas Web, desenvolvimento de páginas Web e outros. "Todos esses serviços estão agregados ao próprio digital.ao", frisou.

O responsável recordou que, no passado, pagava-se um valor exorbitante para se ter um domínio ao, mas, hoje, o mesmo custa oito mil Kwanzas anuais. "Deve ser das taxas mais baratas do mundo", vaticinou.
Com a chegada do digital.ao, André Pedro anunciou que os cidadãos passam a ter a possibilidade de alugar um servidor no Data Center do Governo, para disponibilizar serviços da sua empresa. Sobre isto, disse haver hospedagem a 19 mil Kwanzas.
"Há, aqui, um conjunto de serviços que o digital.ao vai potenciar, mas, fundamentalmente, a questão da geração do auto-emprego", realçou, apontando que é ainda uma forma de promover a inclusão tecnológica do angolano.
Fez saber que muita gente desconhecia, por exemplo, onde se dirigir para comprar um domínio ao, um email corporativo ou uma solução tecnológica para dar suporte ao serviço que presta: "Víamos as páginas .com, por exemplo. O .com é um domínio universal. Ninguém sabe se é português, angolano ou nigeriano. Agora, passaremos a ter uma maior identidade digital a nível da Web".

Digital serve o país
André Pedro assegurou que o digital.ao vai funcionar a nível nacional, por ser, também, virtual: "O angolano que desejar buscar algum serviço do digital.ao, mesmo que esteja fora de Luanda, não precisará se deslocar ao edifício físico. Ele existe, também, como um endereço electrónico, onde as pessoas poderão adquirir os serviços prestados no edifício".
A uma pergunta se a instituição fazia muita falta ao país, o director do INFOSI respondeu: "acho que a pandemia veio mostrar que quem não evoluir tecnologicamente vai ficar para trás".

Postos de trabalho
Diferente do que acontece em outras instituições inauguradas, esclareceu que o foco do digital.ao não será gerar postos de trabalho, mas apoiar a juventude, de modo que os seus projectos gerem empregos. "Grande parte do edifício será ocupado por candidatos que se predispuserem a desenvolver soluções tecnológicas e gerar um próximo negócio", esclareceu.
O edifício, de dois andares, onde vai funcionar o digital.ao dispõe de seis salas para as startups, com capacidade para incubar 25 em simultâneo, dois coworking, sala de reunião, de videoconferência, de desenvolvimento, com capacidade para 12 desenvolvedores, dos quais seis Mobile e seis Web, com tecnologia de desenvolvimento ágil, podendo entregar seis softwares por semana.
Possui, ainda, um auditório, sala de formação com capacidade para 15 formandos e equipado com laboratório de TI, sala de certificação internacional, obedecendo os requisitos internacionais de integridade e confiabilidade, sala de reparação de equipamentos apetrechada com material moderno e seis bancadas.
A adesão aos serviços disponíveis no digital.ao será feita a partir do portal www.digital.ao

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política