Política

Juiz presidente indica prioridades do mandato

Victor Mayala | Soyo

Jornalista

O novo juiz presidente do Tribunal da Comarca do Soyo, na província do Zaire, Manuel Vunge da Silva, apelou, segunda-feira (25), aos demais órgãos que intervêm na administração da Justiça a prestarem mais atenção aos processos que envolvem menores, vandalização de bens públicos e contrabando de combustível na região.

26/10/2021  Última atualização 05H10
© Fotografia por: DR
Manuel da Silva, que falava durante o acto da sua apresentação formal às autoridades locais, defendeu a necessidade de haver maior combinação de sinergias entre os órgãos afins, para um combate cerrado a estes e outros males, fazendo com que as comunidades possam sentir-se satisfeitas com a actuação da Justiça.

"Os tribunais têm a missão primária de administrar a Justiça em nome do povo. E administrar é, no fundo, garantir a tranquilidade e a paz social. Essa é a tarefa que nos foi acometida e vamos trabalhar nessa base”, disse.
O magistrado indicou os processos relacionados com a não prestação de alimentos aos menores, partilha, tráfico de seres humanos e crimes ambientais como os que vão merecer a sua atenção especial.

O juiz presidente do Tribunal da Comarca de Mbanza Kongo, Alberto da Silva Coxe, desejou boas-vindas ao homólogo do Soyo, garantindo o apoio e colaboração necessários para minimizar as dificuldades inerentes à execução das suas tarefas.

À luz da Lei da Organização e Funcionamento dos Tribunais de Jurisdição Comum, a província judicial do Zaire foi dividida em três comarcas: a de Mbanza Kongo, Soyo e Nzeto.

Encontram-se em funcionamento as duas primeiras, aguardando-se a entrada em funcionamento do Tribunal da Comarca do Nzeto, cujos trabalhos preparatórios para a efectivação tiveram início segunda-feira .

O administrador municipal do Soyo, José Mendes Belo, que representou no acto o governador provincial do Zaire, Pedro Makita, renovou o propósito de continuar a colaborar com o tribunal, Procuradoria-Geral da República e outros órgãos que intervêm na administração da Justiça, para que seja infligido um combate cerrado aos males que enfermam a sociedade local.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política