Regiões

Jovens recebem kits profissionais

Victor Mayala | Soyo

Jornalista

Pelo menos, 79 kits de trabalho foram entregues, terça-feira, a igual número de jovens, 23 dos quais do sexo feminino, recém-formados no Centro Integrado de Emprego e Formação Profissional do Soyo, na província do Zaire, no âmbito do Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE).

17/11/2022  Última atualização 09H05
Aumenta o número de empreendedores interessados em abrir pequenas empresas de prestação de serviços nas comunidades © Fotografia por: Victor Mayala | Edições Novembro | Soyo

Durante a cerimónia, orientada pelo director do Gabinete Provincial de Desenvolvimento Económico Integrado, Lucas Panzu, foram entregues kits de Agricultura, Carpintaria, Serralharia, Soldadura, Mecânica, Electricidade, Electrónica e Corte e Costura. 

O chefe dos Serviços Provinciais do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), Kiniangisa Kibantu, fez saber que, desde o arranque do PAPE, na região, a 12 de Julho de 2021, já foram distribuídos 1.600 kits profissionais. 

Acrescentou que a adesão ao PAPE tem aumentado, quer por jovens formados nos centros adstritos ao INEFOP como nos privados, o que implicará um reforço dos kits.

"O número de candidaturas é maior em relação aos kits disponíveis. Vamos pressionar a direcção do INEFOP no sentido de aumentar os kits, para que ninguém fique de fora”, disse Kiniangisa Kibantu, lembrando que o PAPE é um plano gizado pelo Executivo com a finalidade de promover o auto-emprego, combatendo, deste modo, a fome e a pobreza.  

 

Micro-crédito

Em relação ao micro-crédito, um dos subprogramas do PAPE, indicou que mais de 500 pessoas já foram beneficiadas nas fases anteriores a nível da província, mas, apenas, 20 por cento deste número está a cumprir com o reembolso, facto que, como disse, frenou o avanço do processo. 

"Os beneficiários recebem 300 mil kwanzas, têm três meses de graça e um ano para fazerem o reembolso”, referiu, acrescentando que, em relação aos estágios profissionais, outro subprograma, o INEFOP recebeu já solicitações de muitas empresas que operam na região, prevendo-se que o número de estágios (192), das fases anteriores, possa vir a triplicar.    

O director do Gabinete Provincial do Desenvolvimento Económico Integrado salientou, na ocasião, que as dificuldades sociais afectam a vida de muitos jovens, com maior incidência nos que abandonaram os estudos, sublinhando que os cursos técnicos profissionais sob a tutela do INEFOP são a solução para a obtenção do primeiro emprego. 

"Os centros sob gestão do INEFOP se vão afirmando, cada vez mais, como ferramentas estratégicas para a qualificação da mão-de-obra nacional, pelo que é necessário que as comunidades compreendam a importância da formação profissional”, disse.

Lucas Daniel Panzo notou que é preciso encorajar os jovens a acreditarem nesta ferramenta (formação profissional), tendo em conta a sua valia do ponto de vista de inclusão social de muitas pessoas, que, através de cursos técnicos, conseguiram espaços em distintos ramos de actividade, contribuindo no processo de desenvolvimento do país.   

Por sua vez, o administrador municipal adjunto do Soyo para a Área Técnica e Serviços Comunitários, Adelino Kai, que testemunhou o acto de entrega dos kits, apelou aos beneficiários a se dedicarem no trabalho, para que possam criar empregos para outros jovens.

Já o director municipal do Soyo para a Juventude, Desportos e Tempos Livres, Celestino Zacarias Olo, igualmente presente no acto, considerou o PAPE um instrumento de política social bastante valioso, na medida em que vem potenciar os jovens para o autoemprego e permitir o surgimento de mais fontes de receita para os cofres do Estado, através do pagamento de impostos.  

Celestino Zacarias Olo notou, ainda, que a iniciativa demonstra a preocupação do Executivo em relação à problemática do desemprego no país, tendo, por isso, apelado aos jovens a abraçarem a oportunidade, para que possam criar os seus negócios e, deste modo, contribuírem no processo da diversificação da economia.

Depois de terem sido contemplados com kits, os jovens manifestaram-se satisfeitos, tendo prometido empenho no trabalho, no sentido de garantir a prosperidade dos seus negócios, cujos rendimentos, como frisaram, servirão para atenuar as dificuldades sociais.

Salomão Lucano, 29 anos, está entre as dezenas de jovens que receberam kits profissionais. Disse que frequentou um curso de Carpintaria e, com o kit de trabalho, vai criar uma oficina no bairro Kitambi, arredores da cidade do Soyo. 

Formado no Centro Integrado de Emprego e Formação Profissional, Salomão Lucano referiu que, com a ferramenta recebida, está pronto para produzir móveis de qualidade, para o mercado local e não só.

Outro jovem beneficiário é Chave José Juliana, 23 anos. É técnico em electrónica e encontrou no PAPE uma oportunidade para obter o material que necessitava, para reparar aparelhos electrónicos, como telefones e computadores. 

"Faço os meus trabalhos em casa. Mas, agora com este material, vou arranjar um sítio para passar a trabalhar e poder dar emprego a outros jovens”, disse.           

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões