Economia

Jovens empreendedores contam com novo aliado

A Câmara de Comércio Angola - Brasil lança, este mês, uma experiência piloto para a implementação de projectos empresariais de autoria de jovens empreendedores, anunciou, em entrevista ao Jornal de Angola, a sua representante, Camila Cristiane Silveira.

04/03/2019  Última atualização 18H02
Paulo Mulaza | Edições Novembro © Fotografia por: Directora da Câmara de Comércio Angola-Brasi diz que, para a experiência piloto já foram apurados 20 jovens

Sem anunciar os valores envolvidos, Camila Cristiane disse que o projecto experimental enquadra-se na reestruturação da instituição, reactivada em Janeiro do ano em curso.
Em declarações ao Jornal de Angola, a directora da Câmara de Comércio Angola - Brasil explicou que, numa primeira fase, os projectos vão ser implementados nos sectores da agricultura, alimentação e panificação.
Para a experiência piloto foram seleccionados 20 jovens, entre empresários e empreendedores, que farão o teste inicial dos seus programas.
Em relação ao investimento, Camila Cristiane Silveira informou que a instituição tem como financiadores dos projectos alguns bancos brasileiros. Em Angola, o Banco Sol será o principal parceiro.
Nesta nova fase, a Câmara de Comércio Angola e Brasil dará prioridade aos jovens empreendedores angolanos. "É necessário apostar nos jovens por serem a força motriz e os principais impulsionadores da alavancagem da economia nacional", defendeu Camila Cristiane Silveira.
Para além dos jovens empreendedores, a responsável explicou também que a Câmara de Comércio Angola - Brasil vai trabalhar com grupos empresariais já implantados. A instituição firmou acordos com o Conselho Empresarial Juvenil de Angola (CEJA) para a formação e capacitação dos seus membros.
O objectivo, continuou a explicar Camila Cristiane Silveira, é reforçar e dar continuidade aos projectos paralisados. Para isso, é necessário que os jovens empreendedores conheçam a verdadeira função do mercado financeiro e comercial.

Programas

A Câmara de Comércio Angola - Brasil, para dar início às parcerias comerciais, está a fazer o recadastramento de todos os cidadãos ligados à comunidade empresarial e ao empreendedorismo. Também está a identificar os agentes económicos com interesse em comprar produtos no mercado interno e no mercado brasileiro.
Existem muitos empresários e fabricantes brasileiros que querem investir em Angola. Para facilitar o processo e a comunicação, a Câmara de Comércio Angola - Brasil disponibiliza uma página na internet para facilitar a interligação.
Até ao momento, adiantou Camila Cristiane Silveira, foram cadastrados mais de 300 angolanos que actuam no sector do agronegócio e alimentação.
Para a representante, o número é satisfatório e como muitas empresas e fabricantes brasileiros querem actuar no mercado angolano, o ambiente é favorável à realização de trocas comerciais entre os dois países.
Outro projecto que está a ser implementado é o programa de formação e capacitação de empresários e empreendedores das províncias fora de Luanda.
No âmbito do ciclo formativo, mais de 400 jovens participaram em acções de refrescamento. Segundo Camila Cristiane Silveira, a meta é atingir, nos próximos três meses, um total de cinco mil jovens nos diferentes sectores produtivos.
“Depois de terminada a fase de cadastramento, vamos disponibilizar ferramentas específicas para a internet e publicar uma revista mensal onde vão constar todas as informações de mercado e de negócios existentes em Angola e no Brasil”, frisou Camila Cristiane Silveira.
A Câmara de Comércio Angola - Brasil existe desde 2014. Devido à crise financeira, que culminou com uma crise cambial, a diminuição de parcerias comerciais paralisou as funções da instituição.
Para a reabertura, Camila Cristiane Silveira lembrou que, no primeiro trimestre de 2018, deram entrada os devidos processos nos órgãos responsáveis, o que permitiu a reactivação e a nomeação de uma nova representante.

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia