Regiões

Jovem espancado até à morte por pastor

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Jornalista

Um pastor da seita religiosa Mão de Deus está a ser acusado de ter espancado até à morte António Mabadica Jeremias (18 anos de idade), por alegada libertação espiritual, informou fonte policial.

17/09/2021  Última atualização 19H59
Porta-voz do Departamento de Investigação e Ilícitos Penais © Fotografia por: Garcia Mayatoko

O jovem perdeu a vida no último sábado (11), no bairro 11 de Novembro, arredores da cidade de Mbanza Kongo (província do Zaire), em consequência da tortura a que foi submetido pelo suposto líder religioso Pedro António (54 anos), com o intuito de libertá-lo de práticas de feitiçaria.

O Jornal de Angola soube que António Jeremias viveu momentos de angústia na sexta-feira (10) até as primeiras horas de sábado, depois de ter sido acusado de causador da asma de que padece o pastor.

Segundo um dos vizinhos da vítima, Pedro António agrediu até à morte acreditar que o jovem era feiticeiro, tendo mais tarde levado o corpo à morgue às escondidas.

A propósito, o porta-voz do Departamento de Investigação e Ilícitos Penais, sub-inspector Nicolau Modelo Garcia, confirmou o sucedido ao Jornal de Angola, explicando que António Jeremias era crente da seita religiosa e teria sido levado à força na sexta-feira ao local de culto por uma comissão de fiéis para responder pelas causas da doença do pastor, até ser submetido a agressões físicas.

"O jovem foi levado sem o consentimento da família e submetido a um interrogatório sacerdotal. Pela brutalidade dos meios usados no interrogatório, a vítima confessou ter realizado práticas de feitiçaria que causaram a doença ao pastor. Inconformado, o pastor passou a agredir o jovem, que acabou por perder a vida no sábado (11), tendo as autoridades policiais tomado conhecimento do sucedido no domingo (12)”, esclareceu.

Depois da ocorrência, a Polícia deteve o suposto pastor, que foi apresentado ao Ministério Público e encaminhado à unidade penitenciária do Nkiende, aguardando julgamento.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões