Economia

José de Lima de Massano continua no BNA mais seis anos

JA Online

O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano, proposto pelo Presidente da República como candidato para os próximos seis anos, foi ouvido, terça-feira, pelos deputados à Assembleia Nacional, durante mais de duas horas.

30/11/2022  Última atualização 12H00
© Fotografia por: DR | Arquivo

Na ocasião, José de Lima Massano prometeu continuar a trabalhar para o alcance da resiliência do sistema financeiro angolano, bem como para a estabilidade de preços, augurando uma economia mais competitiva e sólida.

O governador do BNA, apontou, igualmente, como meta a redução da inflação de 15% para valores próximos de 6 por cento, conforme recomenda a SADC, de acordo com uma informação publicada no site da Assembleia Nacional.  

Apesar de garantir que o BNA dispõe de reservas internacionais líquidas avaliadas em cerca de 13,5 mil milhões de dólares, com uma cobertura de importações para cerca de 07 meses, alertou para a existência de elevados gastos com a importação de produtos que poderão ser produzidos internamente, como óleo de palma, feijão, o arroz, coxas de frango, entre outros.

Esclareceu igualmente que a recente depreciação do Kwanza, face ao dólar e ao euro, tem a ver com o recuo verificado a nível das importações de petróleo, que caiu em mais de 16 %, o que teve impacto significativo na oferta de divisas, sendo que a procura não fez qualquer tipo de cedências.

Em declarações à imprensa, após a audição, o vice-presidente da Comissão dos Assuntos Constitucionais e Jurídicos, o deputado António Paulo, garantiu que os parlamentares reconhecem "competência técnica e idoneidade” ao candidato José de Lima Massano para o cargo de governador do BNA, daí estarem favoráveis a esta proposta de renovação.

As Comissões de Economia e Finanças (5ªCTE) e dos Assuntos Constitucionais e Jurídicos (1ª CTE) procederam à votação do Relatório Parecer Conjunto da Audição Prévia do Candidato a Governador do Banco Nacional de Angola, com 24 votos a favor, 14 abstenções e nenhum voto contra.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia