Economia

Jornalistas habilitados em matéria de Seguros

Hélder Jeremias

Jornalista

Mais de 20 jornalistas concluíram, ontem, em Luanda, o 1º Curso Técnico Comercial de Seguros “Nível I”, uma formação iniciada a 7 de Maio que, ao longo de 40 horas, proporcionou a acumulação de conhecimentos que permitem abordagens favoráveis à utilidade pública e à elevação dos níveis de profissionalismo na produção de matérias relacionadas com o sector.

20/06/2021  Última atualização 04H30
Director-geral da ASFP, Gabriel Cangueza © Fotografia por: DR
Promovido pela Academia de Seguros, o Fundo de Pensões (ASF), a Triunfal Seguros e a Associação de Jornalistas Económicos de Angola (AJECO), o curso abarcou sete módulos que incluíram a discussão de conceitos como a Introdução à Actividade Seguradora e Gestão de Seguro Automóvel (Subscrição e Sinistros), bem como de Seguros de Acidentes de Trabalho e Doenças Profissionais.

Outras temas incidiram sobre a  Gestão de Seguros de Saúde e Viagem; Garantias Financeiras no Sector Segurador, Gestão Estratégica do Fundo de Pensões e Seguro de Vida, assim como  Legislação Aplicada aos Seguros.

No encerramento, o director-geral da ASFP, Gabriel Cangueza, e o secretário-geral da AJECO, Mateus Cavumbo, anunciaram, para breve, a assinatura de um memorando de entendimento entre as duas instituições para a realização de acções formativas semelhantes nas 18 províncias, a partir de Agosto do corrente ano, de modo a permitir que um número mais expressivo de profissionais seja beneficiado.

Gabriel Cangueza enalteceu a entrega dos formandos e a disponibilidade dos formadores, ao dizer que os resultado espelham o alcance do objectivo preconizado pela academia que dirige, o que passa pela prestação de um serviço público mais criterioso sobre um sector de bastante complexidade, ao mesmo tempo dar uma oportunidade de obterem rendimentos pela actividade de mediação.


"A ARSEG tem definida a meta de aumentar a taxa de penetração da actividade seguradora para 4,0 por cento, mas sabemos que a materialização de tal propósito só poderá acontecer se introduzirmos a cultura de seguros na sociedade”, afirmou, considerando que "os jornalistas desempenham um papel relevante neste processo.

O presidente da mesa da assembleia geral da AJECO,  Cristóvão "Tó” Bragança, considerou a acção de formação "um passo importante” para o jornalismo nacional, na medida em que se trata de uma actividade liberal, mas que deve sempre estar assente em conhecimentos técnicos e práticos das matérias a serem abordadas pelos profissionais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia