Cultura

Jomo Fortunato defende jornalismo cultural de especialização

Xavier António

Jornalista

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, defendeu neste domingo (20), a especialização no domínio do jornalismo cultural, com objectivo de torná-lo mais actuante e investigativo.

20/06/2021  Última atualização 23H51
Ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato © Fotografia por: DR

"Temos de ter jornalistas que abordam de forma especializada a música, teatro, cinema e dança. Precisamos reorientar o jornalismo de investigação nestes domínios”, referiu o ministro durante a cerimónia de relançamento do Jornal "Cultura", propriedade da Edições Novembro.  

Jomo Fortunato disse ainda que o que se tem constado é que um só jornalista aborda de forma generalista as questões culturais e os resultados podem não ser os melhores.

"O país tem muitos assuntos culturais que devem ser melhor explorados”, ressaltou Jomo Fortunato para quem o jornalismo cultural angolano tem de atingir o nível de outros países.  

O Jornal Angolano de Artes e Letras "Cultura” tem periodicidade quinzenal e regressou neste domingo (20), às bancas, depois de ficar fora de circulação desde Fevereiro de 2020, na sua edição 199, devido à pandemia.

O relançamento do "Cultura" aconteceu no Distrito Urbano da Samba, com transmissão em directo na rádio "Mais" frequência 99.1", no programa "Conversa à Sombra da Mulemba", conduzido pelo jornalista Raimundo Salvador e moderado pelo actor Orlando Sérgio.

A cerimónia contou também com as presenças do ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, o secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Caldas Albino, o presidente do Conselho de Administração da Edições Novembro, Drumond Jaime, membros do Conselho de Administração, escritores e outros convidados.  

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura