Economia

Joffre Van-Dúnem defende relacionamento transparente

O ministro angolano do Comércio, Joffre Van-Dúnem, defendeu, ontem, na cidade chinesa de Jinhua, um relacionamento “sincero, transparente e respeitoso” na cooperação entre a China e Áfri-ca, durante a abertura da “Semana de Intercâmbio Cultural e Cooperação Económica e Comercial e do Fórum das Relações Económicas e Co-merciais China-África”, noticiou a Angop.

12/11/2019  Última atualização 08H57
Kindala Manuel | Edições Novembro © Fotografia por: Joffre Vand-Dúnem advoga reciprocidade nas relações

O evento segue-se à Feira Internacional de Importa-ção e Exportação da China (Expo-Shangai), em que Angola participou com uma delegação de cerca de 120 pessoas, entre membros do Governo, empresários e homens de cultura.
“O relacionamento sincero, transparente e respeitoso deve ser a base de uma cooperação mutuamente vantajosa, que permita a China manter o seu crescimento económico e a África quebrar os índices de pobreza e desigualdade”, disse o ministro, na presença de mais de 500 pessoas, entre empresários, políticos, académicos e estudantes universitários.
Ao referir-se às reformas em curso em Angola, Joffre Van-Dúnem destacou a nova Lei de Investimento Privado, a introdução do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) e o programa de privatizações.
O ministro referiu-se ainda às várias medidas em curso no país, focadas no melhoramento do ambiente de negócios e investimentos em Angola. “Pretendemos deixar claro aos investidores, de uma maneira geral aos investidores chineses, em especial, que estão lançadas as bases no sobre a transparência, livre concorrência e protecção jurídica, para realizar investimentos seguros em Angola”, destacou.
Domingo e na mesma ci-dade, Joffre Van-Dúnem Júnior discursou na abertura da cerimónia dedicada às marcas africanas, evento que tem como objectivo dar visibilidade aos produtos industriais, culturais e comerciais de África. “É necessário que as empresas chinesas invistam nos nossos países, para produzir valor a partir das matérias-primas e criar mais valor, emprego, transferir tecnologias”, sublinhou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia