Mundo

João Rendeiro encontrado morto na prisão na África do Sul

João Rendeiro foi encontrado morto dentro da cela na prisão de Westville, em Durban, onde estava detido na África do Sul, avança, esta sexta-feira, a CNN Portugal. As circunstâncias da morte do ex-banqueiro, de 69 anos, que partilhava uma cela de 80 metros quadrados com cerca de outros 50 reclusos ainda estão a ser investigadas.

13/05/2022  Última atualização 12H40
© Fotografia por: DR
June Marks, advogada do antigo presidente do BPP, afirmou à Lusa que Rendeiro foi hoje encontrado enforcado na cadeia onde estava detido. Acrescentou ainda que as autoridades estão a investigar as circunstâncias do que aconteceu.

Recorde-se que, foi detido em 11 de Dezembro na cidade de Durban, após quase três meses fugido à justiça portuguesa, João Rendeiro foi presente ao juiz Rajesh Parshotam, do tribunal de Verulam, que lhe decretou em 17 de Dezembro a medida de coação mais gravosa, colocando-o em prisão preventiva em Westville. Aguardava, agora, a decisão sobre o processo de extradição para Portugal  ia ser decidida em Tribunal numa sessão marcada para 13 de Junho.

O ex-banqueiro foi condenado em três processos distintos relacionados com o colapso do BPP, tendo o tribunal dado como provado que retirou do banco 13,61 milhões de euros. Das três condenações, apenas uma já transitou em julgado e não admite mais recursos, com João Rendeiro a ter de cumprir uma pena de prisão efectiva de cinco anos e oito meses.

João Rendeiro foi ainda condenado a 10 anos de prisão num segundo processo e a mais três anos e seis meses num terceiro processo, sendo que estas duas sentenças ainda não transitaram em julgado.

O colapso do BPP, em 2010, lesou milhares de clientes e causou perdas de centenas de milhões de euros ao Estado. O BPP originou vários processos judiciais, envolvendo burla qualificada, falsificação de documentos e falsidade informática, bem como processos relacionados com multas aplicadas pelas autoridades de supervisão bancária.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo