Política

João Lourenço e Touadéra analisam situação na RCA

César Esteves

Jornalista

O Presidente da República, João Lourenço, teve, quinta-feira (21), no Palácio da Cidade Alta, um encontro com o homólogo da República Centro-Africana, Faustin-Archange Touadéra, com quem terá abordado questões bilaterais e sobre a paz e segurança naquele país.

22/10/2021  Última atualização 08H50
Faustin Touadéra deixou o Palácio logo após o encontro sem prestar declarações à imprensa © Fotografia por: Dombele Bernardo | Edições Novembro
Faustin Touadéra chegou ao Palácio Presidencial ao princípio da tarde e, logo após o encontro, deixou Luanda, sem quaisquer declarações à imprensa.

Apesar de não se saber, ao certo, o que os dois Chefes de Estado abordaram, sabe-se que as acções de João Lourenço, na qualidade de presidente em exercício da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), da qual a República Centro-Africana (RCA) faz parte, contribuíram para que este país conseguisse chegar a um cessar-fogo unilateral do Exército e aliados (Rússia e Rwanda), na luta contra a rebelião armada, para promover a abertura de um diálogo nacional.

Este cessar-fogo, de acordo com Faustin-Archange Touadéra, quando fazia o anúncio, na última sexta-feira, colocou termo, a partir daquele dia, a todas as operações militares e armadas na RCA.

O presidente em exercício da CIRGL mostrou-se bastante satisfeito com a decisão unilateral de cessar-fogo. "A CIRGL saúda o povo centro-africano, uma vez que considera a decisão de cessar-fogo o reconhecimento de que o diálogo aberto e construtivo entre todas as forças vivas é a melhor via para o alcance da paz e estabilidade tão ansiada pelo povo centro-africano”, lê-se na nota assinada por João Lourenço.

O Chefe de Estado angolano afirmou, ainda, que a CIRGL congratula-se com os avanços registados e exorta, por isso, a todos os actores políticos e militares a cumprirem com o cessar-fogo e os princípios do Acordo Político para Paz e Reconciliação na República Centro Africana (APPR-RCA), negociado em Cartum e assinado a 6 de Fevereiro de 2019, em Bangui, como referência na busca de uma solução duradoura à crise centro-africana.

"A CIRGL felicita Sua Excelência o Presidente Faustin-Archange Touadéra, pela maneira firme e determinada com que tem procurado atender às recomendações da III Mini-Cimeira da CIRGL, realizada em Luanda, no dia 16 de Setembro de 2021”, prossegue a nota.

A RCA caiu num caos e violência a partir de 2013, depois do derrube do antigo Presidente François Bozizé, por grupos armados Séléka, o que suscitou a oposição de outras milícias, agrupadas sob a designação anti-Balaka.

Desde Dezembro de 2020, cerca de 60 mil cidadãos fugiram da violência, que assola a RCA, segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

A busca pela paz e segurança naquele país tem sido um dos alvos da liderança de João Lourenço, na qualidade de presidente em exercício da CIRGL.

Até ao momento, o Chefe de Estado angolano já promoveu, em Luanda, três mini-cimeiras dos Grandes Lagos sobre a situação de paz e segurança na RCA.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política