Desporto

Ivete, Edith e Delfina podem jogar pela RDC

Teresa Luís

Jornalista

Ivete Simão (guarda-redes), Edith Mbunga (pivô) e Delfina Mungongo “Didi” (lateral direita), atletas do Petro de Luanda, podem reforçar a selecção do Congo Democrático, na 24ª edição do Campeonato Africano das Nações (CAN), em andebol sénior feminino.

15/05/2021  Última atualização 08H40
Federação Internacional autorizou tricolores a representarem o Congo Democrático no CAN’2021 © Fotografia por: Edições Novembro
As três jogadoras já foram autorizadas pela Federação Internacional (IHF), pois estão há mais de 24 meses sem vestir as cores do combinado angolano. Segundo a imprensa congolesa, o processo está adiantado e até ao final deste mês devem rumar àquele país francófono.
Fonte do Jornal de Angola ligada às andebolistas explicou que com a autorização do organismo internacional, toda a documentação já se encontra no Congo Democrático.

"Eventualmente, já foi tratada a segunda nacionalidade e deram entrada do dossier na IHF. Por isso, foram autorizadas”, explicou.
Durante a disputa do nacional de andebol, no Multiusos do Kilamba, durante o qual o Petro se sagrou  campeão, foi notória a ausência da guarda-redes Ivete Simão.  Caso se efective a contratação, as tricolores vão reencontrar a lateral Cristiane Mwasessa, capitã das congolesas.
"Ela já está na RDC. As outras devem seguir viagem após a disputa da Supertaça Babakar Fall”, realçou a fonte.

Contactada pelo JA, a vogal de direcção do Petro, antiga internacional angolana Elisa Webba Torres,”Tia Lili”, mostrou -se surpreendida e afirmou não ter domínio do assunto.  
"Não sei absolutamente nada. A saída de atletas carece de autorização, pois têm um contrato a cumprir. Por isso, não podem simplesmente sair. A ser verdade, a documentação vai chegar à direcção. Depois estarei em condições de confirmar, ou não, a informação”, esclareceu a dirigente.

Por sua vez, Delfina Mungongo garantiu não ter sido contactada pela selecção congolesa, inclusive mostrou-se surpreendida: "jogar o CAN pela RDC? Sinceramente não sei nada sobre o assunto”.  
Com palco em Yaoundé, Camarões, o africano disputa-se de 10 a 20 de Junho. Angola figura no Grupo C, ao lado de Cabo Verde, Argélia e Congo Brazzaville. Tunísia, Senegal, Guiné Conacri e Madagáscar completam o A, ao passo que no B, estão Camarões, República Democrática do Congo, Nigéria e Quénia.

Cabo Verde e Madagáscar são as selecções estreantes. No CAN, as Pérolas às ordens de Filipe Cruz, vão em busca do 14.º título continental. A segunda fase de preparação arranca a 30 do corrente e está prevista a realização de um estágio pré-competitivo na França , já com a inclusão das jogadoras que militam no estrangeiro.  
Em 2019, as atletas do 1° de Agosto Teresa Leite e Alexandra Shuno reforçaram o DGSP do Congo Brazzaville, na Taça dos Clubes Campeões de África.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto