Sociedade

Ispoca dá bolsas a funcionários da Administração do Sambizanga

Fula Martins

Jornalista

Funcionários da Administração do Distrito Urbano do Sambizanga, em Luanda, beneficiam, desde quarta-feira, de 15 bolsas de estudo, para frequentarem cursos superiores, neste ano académico, no quadro de uma parceria com o Instituto Superior Politécnico do Cazenga (Ispoca).

17/09/2021  Última atualização 10H20
© Fotografia por: DR
Com as bolsas, designadas "Dom Miguel”, das quais dez comparticipadas e cinco totalmente grátis, as duas instituições pretendem potenciar científica e academicamente os funcionários da Administração do Distrito Urbano do Sambizanga, para exercerem o serviço público com excelência.

No caso dos beneficiários das bolsas comparticipadas, o porta-voz do Ispoca, Raul Simões, explicou que vão pagar 50 por cento do valor normal da propina, sendo que a outra parte será subvencionada pela instituição de ensino.O programa de concessão de bolsas "Dom Miguel” prevê, ainda, contemplar 530 estudantes, com 490 comparticipadas e 40 grátis. Essas ofertas vão ser oferecidas às administrações municipais do Cazenga, Kilamba Kiaxi e Viana e distritais do Sambizanga, Hoji-ya-Henda, Neves Bendinha e Palanca.

Em relação à concessão de bolsas de estudo a famílias carenciadas, Raul Simões garantiu que a instituição vai negociar com as administrações municipais e distritais, no sentido de encontrar formas de ajudá-las.O administrador do Distrito Urbano do Sambizanga, Orlando Paca, agradeceu o gesto e considerou ser essa uma grande oportunidade para os técnicos da Administração aprimorarem os conhecimentos académicos.

"Muitas das vezes, as instituições do Estado têm cometido erros, principalmente na tramitação de documentos e no atendimento aos munícipes, por falta de formação académica adequada dos seus técnicos para o exercício da sua actividade”, reconheceu.Por isso, o administrador avançou que a parceria com a instituição privada vai ajudar a melhorar os técnicos, numa altura em que 70% dos funcionários da Administração do Sambizanga são técnicos médios.

Orlando Paca disse que as baixas habilitações académicas têm sido um empecilho na promoção de categorias dos funcionários.O administrador pediu à direcção do Ispoca para erguer uma instituição do II ciclo do ensino secundário, principalmente para a formação de técnicos de saúde, no Sambizanga, com vista a diminuir o défice de estabelecimentos escolares.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade