Reportagem

“Investimento no turismo pode alavancar a economia nacional”

O Turismo é um sector que se poderá tornar num dos pilares para o crescimento da economia nacional, com as significativas contribuições ao Produto Interno Bruto (PIB) e o papel complementar aos sectores do petróleo, da agricultura e das pescas, afirmou o Secretário de Estado para o Turismo, Hélder Marcelino.

28/09/2021  Última atualização 10H07
Secretário de Estado para o Turismo, Hélder Marcelino © Fotografia por: Edições Novembro
Em entrevista ao Jornal de Angola, no quadro das comemorações do Dia Mundial do Turismo, assinalado ontem, salientou que o sector pode desempenhar um papel importante no relançamento da economia do país.
Para tanto, o Secretário de Estado entende ser preciso promover o investimento nos recursos turísticos e praias  e que as pessoas possam viajar sem restrições, adaptando-se ao contexto da pandemia da Covid-19.

"Precisamos de trabalhar para atrair mais investimento no sector hoteleiro, qualificar mais os serviços, através da capacitação e personalização dos recursos humanos e de todo o pessoal que trabalha nos hotéis, bem como promover preços acessíveis", destacou Hélder Marcelino.

O responsável sublinhou que o sector do Turismo tem dado algum contributo para a economia, embora reconheça que muito ainda pode ser feito, para o seu desenvolvimento, dando-lhe mais robustez, com a aposta no segmento hoteleiro e da restauração em todo o país, reduzindo a concentração em Luanda.

Hélder Marcelino referiu que, a par de Luanda, as províncias de Benguela e Huíla são as que concentram quantitativa e qualitativamente número de hotéis e restaurantes, numa altura em que é intenção do Executivo promover o fomento em todo o território nacional, evitando as actuais assimetrias e dando lugar a um quadro de maior equilíbrio.

Na sua visão, o turismo gera empresas, riqueza e cria postos de trabalho, o que resulta em arrecadação de receitas para o Estado, com o pagamento de impostos. Lembrou que o agravamento da crise económica e financeira internacional e a pandemia  travaram o crescimento e o desenvolvimento do sector do Turismo, por causa do encerramento das viagens por conta das restrições impostas pelas medidas sanitárias.

De acordo com o Secretário de Estado, a pandemia da Covid-19 provocou a perda de muitos postos de trabalho, embora não se saiba um número exacto, por  empregadores terem dispensado os trabalhadores de forma provisória.

"O Turismo é um sector transversal. Para o seu desenvolvimento, é necessária a interligação com os sectores dos Transportes, Energia, Comércio, bem como a criação de projectos que visem a educação e a implantação da cultura do ecoturismo em Angola”, disse o Secretário de Estado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Reportagem