Regiões

Instituto Superior Politécnico aberto à comunidade estudantil

Edvaldo Lemos | Caxito

Jornalista

O Instituto Superior Politécnico do Bengo (ISPB), com 34 salas para aulas teóricas e práticas, já está aberto ao público, depois de inaugurado pela ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança.

25/07/2022  Última atualização 09H09
População da província do Bengo tem novas opções para a formação superior localmente © Fotografia por: DR

A nova instituição académica vai arrancar as aulas no próximo ano académico 2022/23, inicialmente com apenas 60 vagas, no curso de Tecnologia Agro-alimentar.

Com a criação do ISPB, através do Decreto Presidencial nº 311/21 de Dezembro, no âmbito do processo de reorganização da Rede de Instituições Públicas Universitárias, a ministra disse que se pretende transmitir bons exemplos de passos a seguir, corrigindo os erros do passado e mostrar a propalada qualidade e excelência almejada para assegurar a normalidade do processo de ensino-aprendizagem.

Maria do Rosário Bragança considerou o curso de Tecnologia Agro-alimentar, voltado para a agricultura e indústria, e alinhado com a diversificação da economia, como uma boa oferta formativa, adequada ao contexto do Bengo e às necessidades do país.

Para a governadora do Bengo, Mara Quiosa, o surgimento da nova unidade para o Ensino Superior vem responder uma das grandes solicitações dos jovens, com necessidade de formação na área das ciências agrárias.

"Pelo facto de a nossa província ser potencialmente agrícola, conseguimos, mais uma vez, atingir uma fase elevada da vida académica”, destacou a governadora provincial.

 

Parceria saudável

Durante a cerimónia de inauguração, a direcção do Instituto Superior Politécnico do Bengo (ISPB) e da Universidade Rainha Nzinga Mbande, da província de Malanje, rubricaram um acordo de cooperação nos domínios do ensino e da investigação científica.

A presidente do ISPB, Aurora Bambi, realçou que a instituição que dirige vai trabalhar para garantir um ensino de qualidade e excelência.Por isso, acredita que tal desiderato seja alcançado com o estabelecimento de várias relações, nos domínios de ensino e da investigação científica, desencadeando acções conjuntas com outras instituições.

O vice-reitor para os Assuntos Científicos e Académicos da Universidade Rainha Nzinga Mbande, Betencourt Munanga, valorizou o memorando de entendimento assinado entre as duas instituições.

"Tendo em conta que a nova instituição arranca com o curso de Tecnologia Agro-Alimentar, poderá beber do quadro docente da Universidade Rainha Nzinga Mbande. Portanto, poderemos, num futuro próximo, desenhar projectos que vão englobar os professores das duas unidades superiores, no sentido de captar financiamentos nacionais e internacionais para alavancar as actividades de pesquisas, e contribuir na resolução de diferentes problemas”, concluiu Betencourt Munanga.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões