Política

Instituição internacional satisfeita com resultados obtidos em Angola

Hélder Jeremias

Jornalista

A cobertura com as transferências financeiras a um universo de cerca de 8,0 mil famílias em 54 municípios das 18 províncias desde Maio de 2020 faz do programa Kwenda um exemplo paradigmático com vista a eliminação da extrema pobreza e formalização da economia junto das comunidades.

06/10/2022  Última atualização 06H15
Mais famílias recebem dinheiro do programa “Kwenda” © Fotografia por: Edições Novembro
O parecer foi apresentado, ontem, pelo director do Banco Mundial para Angola, República Democrática do Congo, Burundi e São Tomé e Príncipe, Albert Zeufack, no final de um encontro com a direcção do Fundo de Desenvolvimento Local, durante o qual se fez a resenha da primeira fase e a abordagem das linhas estruturantes do seu aprofundamento.

Albert Zeufack exteriorizou a convicção de que a parceria entre o Banco Mundial e o Governo de Angola, com o objectivo de apoiar 1.608.000 famílias em situação de pobreza e vulnerabilidade, avaliado em 420 milhões de dólares, dos quais 320 milhões financiados pelo BM e 100 mi-lhões desembolsados pelo Tesouro Nacional.

Em declarações aos órgãos de comunicação social, disse que o encontro foi "produtivo", uma vez que foram notáveis os progressos alcançados pelo programa Kwenda, além de ter tirado lições que "permitem explorar novas avenidas e melhoramento contínuo do funcionamento", capazes de reflectirem uma "plataforma social com impacto na melhoria do nível de vida do povo angolano".

O Banco Mundial, garantiu, sente-se feliz por ser parceiro do Governo de An-gola no programa Kwenda que hoje se tornou um exemplo de programas de protecção social de sucesso ao nível do continente africano.

Referiu que o seu impacto faz com que os demais países demonstrem o desejo de replicar o exemplo de Angola na implementação. Albert Zeufack realçou que o Kwenda vai para além das questões de transferências monetárias: "existem outras nuances e componentes viradas para a evolução social e produtividade dos próprios beneficiários, motivo pelo que contamos com especialistas com experiência em programas similares pelo mundo".

 

Novos desafios

O director-geral do FAS (Fundo de Apoio Social), Belarmino Jelembi, disse que o programa Kwenda obteve, em dois anos, resultados sem precedentes, não obstante a implementação num contexto marcado pela fase mais crítica da pandemia da Covid-19.

O Governo angolano, Banco Mundial e o empenho dos técnicos nacionais envolvidos nas operações, de acordo com Belarmino Jelembi, permitiram ao Kwenda "fazer um caminho, pois escalou o país e está a chegar às pessoas de modo consistente, com uma metodologia que engaja as famílias".

A estratégia a ser implementada doravante, frisou o responsável, consiste em combinar as quatro componentes do programa, consubstanciadas em transfe-

rências monetárias, inclusão produtiva, municipalização da acção social, além da estruturação de um cadastro social robusto que pode servir para várias iniciativas do país.

"É importante referir que o programa Kwenda está a ajudar a transformar vidas, na medida em que chegamos a mais de oito mil aldeias, cujas famílias estão a utilizar os seus recursos para investirem em iniciativas de inclusão produtiva, compra de sementes, preparação de terra, nalguns casos para Saúde e Educação". asseverou.

Belarmino Jelembi concluiu que "a metodologia usada permite a geração de confiança, em função da regularidade do processo de transferências monetárias, com equipas permanentemente treinadas para estabelecer um diálogo com as comunidades”.

"O trabalho vai continuar nesse sentido de cada vez mais estarmos próximos das famílias com rigor, disciplina, organização e parcimónia na gestão dos recursos que estão à disposição do programa", reiterou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política