Cultura

Instituição coloca à disposição dos investigadores procedimento de julgamento do “Processo Querela”

No âmbito de um acordo de parceria entre o Memorial Dr. António Agostinho Neto e a Torre do Tombo, celebrado em 2018, ficou acordado a aquisição de toda documentação inerente ao julgamento, denominado “Processo Querela”, composto por sete mil páginas, das quais quase trezentas páginas relacionadas directamente ao julgamento de António Agostinho Neto.

12/06/2024  Última atualização 09H04
© Fotografia por: DR

Este processo começou em 2018 e finalizou em Março de 2023. Essa demora deveu-se à complexidade dos documentos, que exigiram uma necessidade de restauração. Francisco Makiesse frisou que quem estiver em contacto com os documentos, vai notar que sofreram um trabalho de restauro complexo. 

Francisco Makiesse detalhou que o acordo não foi apenas celebrado para ver as questões do Processo Querela, mas também anexa outras intenções, quer do ponto de vista de formação entre as duas instituições, como a realização periódica de eventos nos dois países.

"Neste momento o processo está acessível para os investigadores, estudantes, escritores, juristas, ensaístas e demais interessados, bastando dirigir-se ao Memorial Dr. António Agostinho Neto. O processo de organização das sete mil páginas ainda continua, mas o Memorial já o disponibiliza em formato digital para os demais interessados. São 51 processos, mas priorizámos ainda a organização do processo de Agostinho Neto”, garantiu.

Exposição em Setembro

O director-adjunto do Memorial Dr. António Agostinho Neto avançou que neste momento estão na fase de preparação de uma exposição documental do referido processo, a ser apresentada em Setembro próximo, prevista para ficar patente durante um longo período.

"Porque é uma exposição que vai trazer muita discussão e reflexão sobre coisas nunca antes divulgadas à volta deste processo. Ao mesmo tempo é um processo que ainda vai provocar muitos artigos daqueles que estudam a vida de Agostinho Neto. Antes, a única forma era viajar até à Torre do Tombo”, reconheceu.

Francisco Makiesse acresceu que esta parceria com a Torre do Tombo resultou igualmente na aquisição de mais 500 fotos inéditas envolvendo o Presidente Agostinho Neto, algumas delas retratam o processo de julgamento e outras ilustram a sua vivência nas cidades de Coimbra e Lisboa. As fotografias também fazem parte da exposição programada para Setembro.

Francisco Makiesse manifestou que esta acção resulta da missão do Memorial Dr. António Agostinho Neto, que visa à defesa, recolha e registo dos aspectos importantes do seu patrono e da História de Angola.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura