Economia

Inflação mais alta foi a de Agosto

O Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), que mede a inflação, ascendeu 2,13 por cento em Agosto, uma aceleração de 0,03 por cento face a Julho, de acordo com números divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) que atribuem a evolução aos aumentos ocorridos na classe “Alimentação e Bebidas Não Alcoólicas”.

16/09/2021  Última atualização 10H35
Preços dos alimentos influenciam curso da inflação © Fotografia por: DR
No relatório mensal do IPCN, publicado no início da semana, o INE afirma que os preços da "Alimentação e Bebidas Não Alcoólicas” subiram 2,67 por cento, apontando, também, os aumentos das classes "Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” (2,06 por cento), "Bebidas Alcoólicas e Tabaco” (1,91 por cento) e "Bens e Serviços Diversos” (1,85 por cento), como os que mais influenciaram a aceleração da inflação em Agosto.

As maiores variações de preços ocorreram no Zaire (2,31 por cento), Luanda e Lunda-Norte (2,30), Huambo (2,21) e Cuando Cubango (2,21), sendo mais baixas no Cuanza-Sul e Cuanza-Norte (1,98 por cento), Cunene (1,97), Moxico (1,96) e Bié (1,93), de acordo com os dados do INE.

A variação homóloga (a 12 meses) situa-se em 26,09 por cento, registando um acréscimo de 2,68 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior (Agosto de 2020), ao mesmo tempo que representa uma aceleração de 0,37 pontos percentuais face à inflação homóloga de Julho.  

A inflação mensal de Agosto é a mais alta verificada este ano, de acordo os dados disponibilizados pelo INE.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia