Economia

Indústria traça linhas para a cadeia produtiva da mandioca

O Ministério da Indústria e Comércio (MINDCOM) quer fomentar o processo de industrialização e comercialização da mandioca como um produto versátil e de ampla utilização na alimentação humana, animal e para uso na Indústria, tornando Angola um País líder da cadeia produtiva da Mandioca e seus derivados a nível continental e mundial.

24/06/2021  Última atualização 06H45
Victor Fernandes tem sido um mobilizador de sinergias para o aproveitamento da mandioca © Fotografia por: Vigas da Purificação | Edições Novembro
Esta visão vem reflectida numa nota de boas-vindas do ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, dirigida as personalidades que vão participar do 1 Congresso Internacional da Mandioca, a decorrer nos dias de  amanhã e sábado, em Malanje, noticiou a Angop.

De acordo com o ministro Victor Fernandes, este evento representa um fórum de ex-trema relevância na medida em que apresentar-se-á uma radiografia global das principais zonas de maior produção nacional da mandioca, oportunidades de financiamento da sua cadeia de valor, da agro-industrialização deste tubérculo, comercialização, com incidência na transformação em subprodutos com impacto no circuito de comercialização de Angola e a sua exportação.

Refere ainda que o presente Congresso Internacional da Mandioca está alinhado com a medida 6,9 e 10 do Plano Integrado de Desenvolvimento do Comércio Rural (PIDCR), especialmente no tocante a promoção dos produtos nacionais, alinhamento da importação de bens alimentares com a oferta nacional, bem como o incentivo à compra de produtos nacionais.

"No essencial, entre muitos objectivos, queremos promover a produção, a industrialização e a comercialização da mandioca como um produto versátil e de ampla utilização na alimentação humana, animal e para uso na indústria, tornando Angola um País líder da cadeia produtiva da Mandioca e seus derivados a nível continental e mundial”, ilustra o governante.

Empoderar as famílias

Segundo Victor Fernandes, outra pretensão é empoderar as famílias camponesas aumentando a sua renda, mitigando os índices de pobreza das nossas populações; proporcionar um ambiente de negócios que atraia maiores oportunidades de investimento privado.

"Auguramos também dispor das linhas de financiamentos da cadeia de valor da mandioca, particularmente de instituições como o Banco de Desenvolvimento de Angola – BDA, Fundo Activo de Capital de Risco – FACRA, Programa de Desenvolvimento da Agricultura Comercial – PDAC; Projecto de Apoio ao Crédito – PAC e outros de interesse dos produtores; bem como potenciar a oferta de exportação e consequente captação de divisas”, contextualiza o ministro.

Cita ainda que, além da intenção de redimensionar o Parque Industrial Rural (PIR) de Cacuso, em Malanje, e habilitá-lo no curto prazo de valências para ser uma experiência de sucesso na estratégia do desenvolvimento da cadeia da Mandioca, é pretensão do seu pelouro estruturar a possibilidade legal de introduzir até 30 por cento da farinha da mandioca como parte integrante da matéria prima na produção do pão e outros produtos de natureza pasteleira.

O Congresso Internacional da Mandioca conta com a participação de distintos departamentos ministeriais e demais Instituições Públicas; Governos Provinciais; Representações Comerciais de Angola no Exterior; Associações Empresariais; Banca Comercial; Universidades Públicas e Privadas; Parceiros Internacionais com destaque a FAO, UNCTAD, União Europeia; União Africana; Banco Mundial, EMBRAPA e outros parceiros locais. Organizado pelo Ministério da Indústria e Comércio (MINDCOM) em parceria com o Governo Provincial de Malanje, o evento contará ainda com a participação de distintos empresários do agronegócio, agricultores, organizações interacionais e personalidades ligadas ao mundo académico.

Entre os distintos painéis de abordagens destacam-se temas como "Promoção e Aceleração do Desenvolvimento industrial Sustentável e Inclusivo”, a "Visão da FAO para impulsionar a mandioca como alimento do século 21”, a "Estratégia da UA na dinamização do desenvolvimento da Agricultura”, bem como as "Medidas de Política do Executivo Angolano voltadas a aceleração e valorização da agricultura familiar”.


O evento será realizado em formato presencial e via zoom.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia