Economia

Indústria salineira absorve cerca de 120 barris de iodo

Angola importa anualmente entre 120 e 150 barris de iodo para produção de sal de cozinha, revelou ontem o director Nacional de Produção e Iodização do Sal, Osvaldo Costa.

30/01/2020  Última atualização 15H00
DR

A quantidade de iodo pela qual o país gasta perto de 150 mil dólares permite produzir cerca de 200 mil toneladas de sal, estimou o responsável, alertando, no entanto, que o preço do produto no mercado não é estável.
Osvaldo Costa, que falava à imprensa à margem do seminário sobre Análise e Actualização dos Estudos Existentes na Cadeia de Valores no Sector das Pescas, ontem, esclareceu que a quantidade anual de iodo importada varia com a oscilação do preço no mercado internacional.
Apesar de existirem vários mercados, disse, Angola adquire preferencialmente o iodo na Índia, onde os preços são relativamente baixos.
A utilização do iodo nos alimentos ajuda a prevenir várias doenças, razão pela qual a Organização Mundial da Saúde (OMS) desaconselha o consumo de sal não iodizado.
O país tem em carteira 14 projectos de produção de sal, que aguardam financiamento desde o ano passado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia