Economia

Indústria aeronáutica pronta para o comércio

A indústria aeronáutica africana está, nos dias actuais, consciente da importância que representa e do inegável papel importante que desempenha na facilitação do comércio e no crescimento das economias.

10/11/2020  Última atualização 17H30
Ministro Viegas D’Abreu discursou na abertura da reunião © Fotografia por: Dombele Bernardo | Edições Novembro
A afirmação é do ministro dos Transportes, Ricardo Viegas D’Abreu, convidado de honra e anfitrião na abertura, ontem, da 52ª Conferência da African Airlines Association (AFRAA), Assembleia Geral Anual, realizada por videoconferência.
O ministro disse não haver dúvida de que este tem sido um ano muito desafiante para todos e em todos os domínios, em particular para a indústria aeronáutica, que está entre os sectores mais afectados.

O evento da African Airlines Association (AFRAA) marca também a assumpção da liderança do organismo pela TAAG.
Na ocasião, o governante destacou o desempenho da companhia aérea de bandeira durante este período de pandemia, a cisão da ENANA e a criação de duas novas entidades.

Ricardo Viegas D'Abreu disse ainda que no caso específico de Angola, compromete-se, totalmente, a preservar o ecossistema da Aviação Civil com todo o apoio governamental.
"Organizámos vários voos humanitários para ajudar e aliviar os efeitos da pandemia nos últimos meses, trazendo para casa mais de 80 mil angolanos e residentes e mais de oito mil toneladas de materiais de biossegurança”, avançou.

Além disso, prossegue o governante, Angola abriu o seu espaço aéreo internacional com efeitos a partir de 21 de Setembro, permitindo às companhias aéreas iniciar serviços dos hubs locais para Luanda.


Acção coordenada

Conforme disse o ministro, tudo foi feito em coordenação com as Autoridades Nacionais de Saúde e também seguindo os protocolos e orientações de saúde definidos pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e pela OACI, referindo ainda que, muito antes da pandemia, Angola tinha estabelecido o compromisso de desenvolver o sector da aviação.

"Foi, recentemente, revisto um novo Quadro Jurídico e Regulamentar da Autoridade da Aviação Civil, capacitando a Autoridade da Aviação Civil a ser mais proactiva não só na supervisão do sector, mas na criação de políticas progressivas que permitam a Angola alinhar e crescer com a 4ª Revolução Industrial liderada pelas economias mundiais”, realçou.

Além disso, disse o ministro, o país está a investir em infra-estruturas, como o Novo Aeroporto Internacional de Luanda e as autoridades estão fortemente empenhadas em melhorar a qualidade do capital humano, o que permitirá aos colaboradores agir em conformidade com as práticas recomendadas pela indústria.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia