Economia

Incertezas fazem disparar preço do ouro no mercado

A escalada da guerra comercial entre as maiores potências do mundo, os Estados Unidos e a China, levaram os investidores a escolherem o ouro como “um activo seguro em tempos de incerteza”, disseram, na segunda-feira, analistas à agência de notícias espanhola EFE, com o preço do ouro (a onça troy equivale a 31,1 gramas) a valorizar-se para 1.565 dólares, fixando-se em máximos desde 2013.

28/08/2019  Última atualização 10H22
DR

O preço do ouro voltou posteriormente a corrigir, ao negociar em torno de 1.528 dólares, mesmo assim um máximo desde Abril de 2013.
De acordo com o UBS Group AG, prevê-se que possa valorizar-se para 1.600 dólares nos próximos três meses.
O UBS, citado pela agência de notícias financeiras Bloomberg, tem vindo a rever em alta as previsões do preço do ouro à medida que “aumentam as tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China.”
A nota do banco suíço refere ainda que o aumento das tensões comerciais entre Washington e Pequim têm vindo “a prejudicar o crescimento económico (global)” e a levar a que os bancos centrais “flexibilizem” as suas políticas de taxas de juro e olhem para novos estímulos direccionados para o crescimento económico.
Para o analista da XTB Jorge López, o preço do ouro “está a subir vertiginosamente devido ao aumento da procura, resultado da volatilidade e incerteza que se mantêm latentes nos mercados financeiros.”
“A tensão comercial entre Estados Unidos e a China permanece” e a situação “parece dar nota de que está pior”, lembrou, justificando que a subida das tarifas alfandegárias por ambas as partes “não dá indícios de ter acabado.”
Segundo o analista, “o que parece estar a dar asas ao preço deste metal precioso são os sinais contínuos de enfraquecimento que se estão a registar no crescimento da economia global e o actual fantasma de uma possível recessão.”

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia