Regiões

Incêndio na Biocom danifica a produção

Francisco Curihingana | Malanje

Jornalista

Um incêndio de dimensão relevante atingiu uma área de 1.639 hectares e consumiu 56 mil toneladas de cana destinadas à produção de açúcar, etanol e energia na Fazenda Biocom, no município de Cacuso, em Malanje.

01/08/2022  Última atualização 10H26
Suposta acção de caçadores furtivos criou danos à empresa © Fotografia por: Francisco Curihingana | Edições Novembro | malanje

Informações prestadas, ontem, pelo gerente de Comunicação e Relações Institucionais da Biocom, Gerry Vissapa, dão conta que as causas do incêndio ainda estão por apurar, "mas tudo indica que terá sido provocado por caçadores furtivos”.

O incêndio, explicou, foi rápido e intenso, mas não causou nenhuma vítima. "O fogo começou na área de reserva ambiental da fazenda e levou 10 horas para ser extinto. Provavelmente foi ateado por caçadores na busca de animais naquela área. Não é a primeira vez”, referiu.

A Biocom reiterou, em comunicado, o compromisso de continuar a promover o desenvolvimento agro-industrial do país e contribuir para a diversificação da economia nacional. "A empresa vai também intensificar as campanhas de sensibilização local, apelando aos moradores das áreas envolventes, para que não façam uso das práticas de atear fogo na mata como forma de caçar animais selvagens”, destaca a nota.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões