Sociedade

INAMET anuncia mais chuvas para Luanda

O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) anunciou, em comunicado, chuvas intensas para Luanda e outras partes do país durante esta semana, alertando aos riscos que correm as populações que vivem em zona de riscos.

06/01/2020  Última atualização 13H42
M. Machangongo |Edições Novembro

Segundo o documento, as autoridades devem tomar medidas de prevenção para as populações sejam retiradas em zonas de riscos, sobretudo nas zonas periféricas de Luanda, como na Sambas, Barrocas da Boavista e Sambizanga. Hoje, durante uma conferência de imprensa, que serviu para balancear a chuva que se abateu sobre a cidade de Luanda, o governador Sérgio Luther Rescova anunciou a morte de uma criança de sete anos no município de Viana, cujo mesmo foi arrastado pela correntes das enxurradas. 

O governador de Luanda disse que a criança foi arrastada pela água das chuva, tendo, por isso, lamentado o sucedido
Sérgio Luther Rescova informou terem sido feitos, com antecedência, vários trabalhos de prevenção, como o desassoreamento de valas de drenagens para evitar não só este episódio (morte da criança), como outros. Sublinhou que, apesar dos esforços, a província foi surpreendida por uma chuva anormal, que durou cerca de 12 horas, ultrapassando o tempo que se vinham registando nos últimos anos.
Sérgio Luther Rescova prometeu continuar a trabalhar, no sentido de se evitar perdas humanas, referindo que a chuva que caiu sábado só não provocou mais danos, porque desde cedo houve várias acções de prevenção que vão ser intensificadas.
O governador disse que a província de Luanda só é fortemente fustigada pelas chuvas porque, “infelizmente, ainda enfrenta problemas estruturantes do ponto de vista de drenagem das águas pluviais” e esclareceu que situação actual de drenagem está dividida em dois níveis, sendo o micro e a macro.
A micro, explicou Sérgio Luther Rescova, incide fundamentalmente sobre as principais linhas de colector e valetas que é quase inexistente, na sua maioria, a nível dos bairros. Acrescentou que ao nível das vias principais existem algumas estruturas de drenagens eficientes, que têm permitido evacuar as águas da chuva.
Em relação à macro drenagem, Sérgio Luther Rescova considera ser fundamental a sua resolução para que a província de Luanda deixe definitivamente de enfrentar problemas de inundações, na medida em que permitiria com a água da chuva siga o seu curso normal até encontrar os canais adequados para o seu escoamento.
O governador admitiu haver em Luanda uma boa confluência para escoar a água e reconheceu que caso haja maior aproveitamento para a construção e finalização dos projectos de macrodrenagem, pode ajudar na fluidez dos canais de microdrenagem.

Famílias desalojadas

Quanto às famílias desalojadas pela chuva, o governante afirmou que muitas foram albergadas em locais mais seguro, outras recorreram a casas de parentes.
“Temos procurado dar o nosso apoio a essas famílias, porque compreendemos que os bens materiais podem ser recuperados, mas o mesmo não se poderá dizer da vida”, aclarou Sérgio Luther Rescova.
Na oportunidade, o porta-voz do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, Faustino Minguês, ressaltou que do trabalho até agora feito, para mitigar os efeitos da chuva, permitiu apurar a inundação de 208 residências, 250 famílias desalojadas, seis resgatadas no interior de uma residência e uma morada desabada.
Faustino Minguês disse que os dados avançados não são definitivos, podendo alterar-se nas próximas horas. Revelou ainda, com base em dados do INAMET, que Luanda pode voltar a receber mais chuvas nos próximos dias. O município de Belas continua a ser o mais afectado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade