Regiões

INAD destrói mais de 800 engenhos explosivos no Longa

Lourenço Bule| Menongue

Jornalista

Pelo menos, 877 engenhos explosivos foram destruídos nesta sexta-feira, na localidade de Masseca, comuna do Longa, município do Cuito Cuanavale, Cuando Cubango, pelos efectivos do Instituto Nacional de Desminagem (INAD), destacados na província.

20/06/2021  Última atualização 09H30
© Fotografia por: DR
O chefe de Departamento do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) no Cuando Cubango, Rodrino Jorge Nana disse que dos engenhos explosivos detonados foram recolhidos durante o primeiro semestre do ano em curso e constam obuses de diversos calibres, minas anti-tanque e anti-pessoal, munições de diversos calibres e granadas de mão. Rodrino Jorge Nana disse que durante os primeiros seis meses no ano em curso, das acções pontuais efectuadas pelo INAD conseguiu encontrar-se em posse de dois cidadãos nacionais, sendo 86 engenhos explosivos na custódia de uma senhora de 45 anos de idade, já a contas com a justiça e dois morteiros 88 na posse de um angolano que se encontra foragido.

"Os engenhos não detonados foram encontrados nos bairros São José, Tchivonde e Paz, arredores da cidade de Menongue e muitos dos quais em posse de populares que pretendiam vendê-los no mercado informal, para que os mesmos pudessem ser pesados”, disse o responsável. Acrescentou que graças à denúncia de alguns populares foi possível identificar algumas zonas contaminadas e cidadãos em posse de engenhos explosivos não detonados, estes últimos com fins comerciais, visto que muitos indivíduos optaram pela recolha de materiais ferrosos para serem vendidos em Luanda, dado o lucro fácil que este tipo de actividade oferece.

Salientou que algumas zonas do município de Menongue não estão minadas, mas sim contaminadas com alguns engenhos explosivos não detonados que seriam usados durante o tempo de guerrilha de decorreu no país entre as Forças Armadas Popular de Libertação de Angola (FAPLA) e a extinta Forças Armadas de Libertação de Angola (FALA), antigo braço armado da UNITA.

O chefe de Departamento do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) no Cuando Cubango, Rodrino Jorge Nana disse que a instituição que dirige a nível da província, tem como prioridade, ainda este ano, a desminagem do troço rodoviário que liga o município do Cuito Cuanavale ao de Mavinga e vice-versa, numa distância de 200 quilómetros.
Rodrino Jorge Nana disse que o objectivo da acção consiste em refrescar os efectivos em matérias de actuação, identificação de zonas, controlo de risco, de forma a estarem preparados física, mental e tecnicamente para a abordagem no terreno.


Explicou que durante a formação, administrada por especialistas do INAD e das FAA, foram administradas matérias como a conferência do pessoal, introdução ao estudo sobre o detector de metal, exercícios de fios de tropeço, exercícios de fios de metal, de sondagens, de escavação, acções para a descoberta de uma mina, identificação de minas e outros engenhos não detonados e sistema de marcação do ponto minado.

Foram igualmente aprofundadas matérias em torno do exercício de pontos minados, exercícios de evacuação e de limpeza geral, cálculos de superfícies, métodos de limpeza de estradas e caminhos-de-ferro, métodos de limpeza em zonas de alta tensão, limpeza e desminagem combinada, supervisão e controle das operações de limpeza, exercícios do uso da bússola, entre outros temas.
Rodrino Jorge Nana disse que durante o ano de 2020, foram limpos 270 mil e 987 metros quadrados, tendo resultado na recolha de 35 mil e 290 minas de pequeno calibre, 660 engenhos explosivos não detonados, 25 minas anti-tanque e 45 anti-pessoal.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões