Economia

Iminentes concursos para adjudicar obras

Hélder Jeremias

Jornalista

O presidente do Conselho de Administração do Porto de Luanda, Alberto Bengue, anunciou, ontem, que a empresa abre, em breve, concursos públicos para a adjudicação de obras de sinalização marítima, instalação do VTS (Vessel Traffic System) e de um Sistema de Vídeo Vigilância(CCTV), bem como da construção de um porto de cabotagem.

16/09/2021  Última atualização 09H40
© Fotografia por: DR
Em declarações à imprensa, à margem da 4ª Reunião de Quadros da companhia, realizada em Luanda, o responsável referiu que os investimentos estão inseridos no Novo Plano de Modernização do Porto de Luanda, que também prevê, entre outras acções, o aumento da profundidade para uma média entre 14 e 16 metros, face aos actuais 12,5.
O procedimento tem como objectivo permitir atracar navios de maior porte, de acordo com as novas tendências internacionais, assim como remover o grande número de sucatas obsoletas imersas ao longo da baía, que condicionam a manobra de embarcações.

Alberto Bengue evitou avançar uma estimativa sobre o custo das obras, tendo-se limitado a dizer que "são vários investimentos específicos a serem financiados pelo Executivo que devem custar vários milhares de dólares", mas que a sua importância reside no facto de traduzirem-se na eficácia e na obtenção de um volume maior de receitas.
De acordo com Alberto Bengue, o Porto de Cabotagem tem a finalidade de facilitar a circulação de pessoas e mercadorias entre as cidades de Luanda, Soyo e Cabinda, com previsão de atingir o transporte anual de cerca de 160 mil passageiros e cinco mil viaturas.

"O Porto de Luanda precisa desenvolver-se com tecnologia de ponta, de modo a dinamizar a eficiência e eficácia da carga. Vamos lançar agora os vários concursos públicos, cujas peças procedimentais estão concluídas. O lançamento do VTS Portuário vai permitir ter a visibilidade de todos os navios que atracam, fazer acompanhamento diário da baía e do cais em regime de operação”, disse.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia